Publicidade
Manaus
Manaus

Jovens dedicam tempo para ajudar pessoas carentes na cidade de Manaus e no resto do mundo

As ações do “Mais amor, por favor” acontecem toda sexta no Centro de Manaus, onde além de alimentos e roupas são oferecidos aos carentes serviços de saúde e orientações médicas 30/01/2016 às 16:57
Show 1
O grupo "Mais amor, por favor", durante ação rua Guilherme Moreira
Hellen Miranda ---

O sentimento que motiva ações de voluntariado não visa ganhos financeiros e nem é feito por obrigação, é a satisfação de ser útil. Eles doam seu tempo, talento e trabalho em prol de uma causa, como a amazonense Ingrid Loureiro, 25.

Com interesse pelo trabalho voluntário desde cedo, a jovem viu a oportunidade de participar em 2015 do projeto The Street Store Manaus, uma espécie de loja a céu aberto para moradores de rua. Na ocasião, as ações também ofereceram atendimento médico, corte de cabelo, café da manhã e almoço para os participantes.

Aproximadamente 2 mil pessoas foram atendidas pelo projeto. “O melhor de tudo é a gratidão demonstrada em cada sorriso”, destaca Ingrid, que passou a se envolver com a causa dos moradores de rua.

Hoje, ela faz parte do movimento “Mais amor, por favor”, que surgiu com as pessoas que trabalharam no The Street Store. De acordo com Ingrid, nem tudo é fácil e as ações exigem esforço coletivo dos mais de 400 voluntários.

“Temos uma responsabilidade grande de arrecadar as doações, ter tempo pra fazer a comida, triagem das roupas e correr atrás do que faltar. Cada um faz um pouco e no final tudo é válido quando vemos o resultado”, ressalta a voluntária, que virou madrinha de um dos moradores de rua atendidos pelo grupo. “Sempre que ele (Silvano) me vê é uma alegria”, comemora. 

As ações do “Mais amor, por favor” acontecem toda sexta-feira, a partir das 18h, no centro da cidade, onde além dos alimentos e roupas são oferecidos às pessoas carentes serviços básicos de saúde como curativos e orientações médicas.

O grupo também aposta em música, arte e cultura para envolver os participantes. Aos interessados as doações podem ser feitas na Casa rosa ou Mansão dos Belos Quadros, s/n, localizada na Av. Joaquim Nabuco, ao lado do Colégio Santa Dorotéia, em frente ao Grupo Simões, no Centro. “O sentimento de quem participa é de dever cumprido e utilidade”, conclui Ingrid.

Missão Nepal

O sonho de conhecer outros países aliado à vontade de realizar missões para ajudar pessoas deu impulso para Krishna Pennutt, 22, atravessar o País e estudar no Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono (CTMDT), na cidade de Belo Horizontes, em Minas Gerais.

“Cursei por dois anos o treinamento que prepara o caráter e a conduta dos voluntários para desenvolver um trabalho pleno. Mas o custo é caro, porque nós pagamos as nossas despesas, então tive que mobilizar a família, amigos e buscar alternativas para concluir o treinamento”, conta Krishna, que ainda deve participar de um curso de capacitação antes de embarcar para o Nepal. O CTMDT envia anualmente equipes de voluntários para bases no Brasil e em países como Nepal, Portugal e Haiti.

A jovem conta que ainda não comprou o bilhete de viagem para o País escolhido por falta de dinheiro, mas que ainda tem esperança de viajar esse ano.

“Estou fazendo como antes, mobilizando todo mundo, uso a internet para publicar folders e explicar sobre o projeto para quem quiser ajudar. Também vendo rifas, mousse e bolos em cantinas, faço um pouco de tudo porque quero muito fazer essa missão”.

De acordo com Krihna, o trabalho de um voluntário é uma via de mão dupla e conta o que espera encontrar na viagem ao Nepal. “Quero achar no simples das pessoas a resposta do que a gente precisa para ter um coração mais amável, solidário. Eu quero viver as coisas e acordar as outras pessoas”, finaliza.

Publicidade
Publicidade