Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019
Manaus

Juiz diz que a polícia precisa reprimir atos de atentado ao pudor

Estupro, direção perigosa, poluição sonora e infrações à ordem pública são os problemas das ‘bagaceiras’ na Avenida do Turismo



1.jpg Mulheres seminuas se exibem em via pública
15/11/2012 às 08:56

“A polícia precisa fazer alguma ação para pelo menos reprimir alguns dos crimes que aparecem de forma bem cristalina nas imagens mostradas em A CRÍTICA”. Essa é a opinião do juiz  do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) Carlos Zamith depois de assistir às imagens de dois  vídeos denominados de “Bagaceira na Avenida do Turismo” e “Bagaceira no Turismo”.

Neles, dezenas de jovens e adolescentes, aparentemente sob efeito de droga ou álcool, dançam ao som do forró, funk e eletromelody e fazem coreografias simulando  posições sexuais em plena via pública. Algumas fazem strip-tease e promovem cenas de lesbianismo.

O magistrado disse que, nas imagens, está bem visível adultos praticando atos obscenos, que no Código Penal são descritos como contravenção penal. Mas, segundo ele, pode haver outras contravenções, como o fornecimento de bebidas alcoólicas para  menores de idade.

Zamith classificou a situação como de risco para a integridade física das pessoas envolvidas  e de terceiros, já que envolve bebida alcoólica e direção de veículos. O juiz disse que os órgãos de segurança e os de fiscalização da Prefeitura de Manaus precisam  pôr fim na situação mostrada.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.