Publicidade
Manaus
AVALIAÇÃO DA FOLIA

Jurados do Carnaval de Manaus explicam critérios de avaliação do desfile

Ao todo são 27 jurados divididos por três avaliadores por quesito. Todos são da cidade do Rio de Janeiro 02/03/2019 às 20:44
Show jurados b45db615 6151 411a 9c85 369ce3bb475e
Foto: Euzivaldo Queiroz
Juan Gabriel Manaus (AM)

Este ano, o desfile das escolas de samba do grupo especial de Manaus contará com um total de 27 jurados que serão responsáveis por avaliar os nove quesitos que as agremiações amazonenses levarão para a avenida na noite deste sábado (2).

De acordo com Riec Santos, responsável pela coordenação dos jurados, a equipe é dividida por três avaliadores por quesito e é composta inteiramente por jurados vindos da cidade do Rio de Janeiro.

“Criamos uma equipe particular de jurados para fazer o trabalho este ano. As pessoas que integram esse corpo são profissionais com experiência e que se submeteram a cursos e testes ao longo do ano. Os aprovados no teste final ficam aptos a avaliarem desfiles”, explica Riec.

O jornalista Ricardo Silva (47) é um dos responsáveis pela avaliação do enredo. Segundo ele, o quesito é a base da escola de samba na avenida e o principal fator para avaliação é se a mensagem conseguiu ser transmitida com clareza.

“Toda escola começa o Carnaval no enredo e nós, como jurados, analisamos os pontos cruciais como, por exemplo, se o carnavalesco conseguiu botar em prática na avenida aquilo que era proposto pela escola. Observamos também a ordem das alas para que sejam coerentes e se houve clareza na hora de apresentar”, explica o avaliador.

Outro quesito importante para o bom desempenho das agremiações no desfile é o samba-enredo. Luiz Carlos Silva (65) participa pela segunda vez do desfile das escolas de samba de Manaus avaliando o item e explica quais os pontos são levados em conta na hora da avaliação.

“Precisamos analisar a desenvoltura do samba no sentido dele transmitir a proposta do enredo, sendo que ele pode ser descritivo, interpretativo e a gente faz essa análise de acordo com a proposta apresentada. Levamos em conta as características da melodia, e a letra, que se estiver de acordo com o enredo, contribuirá para um bom desfile”, revela o jurado.

Estreando no Carnaval amazonense, o jurado Jorge Rafael (28) é um dos responsáveis por julgar a bateria. O quesito que dá ritmo aos foliões na avenida requer uma avaliação detalhada que envolve de sincronia dos membros a afinação dos instrumentos.

“O que faz com que a bateria tenha uma boa apresentação é o equilíbrio entre os instrumentos, a afinação e o entrosamento entre os músicos. Se faltar uma dessas coisas ou até mesmo as três, a bateria é prejudicada”, revela.

Publicidade
Publicidade