Publicidade
Manaus
OUVIDA NA JUSTIÇA

Justiça do AM ouve mãe de Pablo Pietro, bebê jogado no Rio Negro em 2015

O crime ocorreu em 14 de agosto de 2015, no Rio Negro, a bordo de um bote, dia em que Cleudes foi receber o valor a ser pago pelo pai da criança como pensão alimentícia 05/05/2017 às 14:56
Show show 1
(Foto: Euzivaldo Queiroz/27-08-2015)
acritica.com Manaus (AM)

A 1ª Vara do Tribunal do Júri, que funciona no Fórum Ministro Henoch Reis, no bairro de São Francisco, zona Sul, ouviu nesta quinta-feira (4) Cleudes Maria Batista de Moraes, que figura como vítima, junto com seu filho Pablo Pietro, em processo que tem como acusado o ex-companheiro dela, Josias de Oliveira Alves.

Josias foi denunciado pelo Ministério Público em outubro de 2015, por tentativa de homicídio qualificado (motivo torpe, asfixia, recurso que dificultou a defesa da vítima, feminicídio e não consumado por circunstâncias alheias à vontade do agente) contra Cleudes e por homicídio qualificado contra o próprio filho (motivo torpe, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima, contra descendente e contra criança).

De acordo com a denúncia, o crime ocorreu em 14 de agosto de 2015, no Rio Negro, a bordo de um bote, data em que Cleudes foi receber o valor a ser pago pelo pai da criança como pensão alimentícia.

Conforme o MP, após acalmar um clima de discussão, os dois seguiram no rio e, durante o trajeto, a vítima, que estava com o filho no colo, foi surpreendida de costas pelo ex-companheiro, com tentativas de estrangulamento usando uma corda e de esganadura. Na briga, ainda conforme a denúncia do MP, Josias teria puxado o bebê, de quatro meses, do colo da mãe e jogado-o no rio (a criança sumiu na água).

Segundo a juíza Mirza Telma de Oliveira Cunha, titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, em que tramita o processo, a vítima disse em depoimento praticamente o mesmo que já havia dito na Delegacia, e que consta na denúncia.

O funcionário do barco em que a mulher aguardava a chegada do ex-companheiro, na bacia do São Raimundo, Rubenilson dos Santos da Silva, também foi ouvido ontem como testemunha.

Outra testemunha será ouvida em 17 de outubro: Rita Maria da Conceição, avó e mãe de criação de Cleudes. Na mesma data deverá ser feito o interrogatório do acusado.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade