Publicidade
Manaus
Manaus

Justiça manda chamar 245 aprovados em concurso da PM

Essa foi a quantidade de concursados excluídos por estar com idade acima dos 28 anos; governo do estado vai resistir 05/11/2013 às 09:33
Show 1
No final de semana, concursados se reuniram com o deputado Cabo Maciel
Adan Garantizado Manaus, AM

O Governo do Estado do Amazonas vai resistir a uma decisão judicial expedida durante o último plantão judiciário, que determina a reconvocação de 245 aprovados no concurso público da Polícia Militar do Amazonas em 2011. Os candidatos foram excluídos da disputa por se encontrarem acima do limite de idade para entrada na corporação (que é de 28 anos), no ato da convocação.

Ontem, a Agência de Comunicação do Governo do Amazonas (Agecom), informou que a Procuradoria Geral do Estado (PGE), está trabalhando na elaboração de um recurso para recorrer da decisão expedida no domingo pela juíza Jaci Cavalcanti.

Os concursados alegam que a culpa do “estouro” da idade é do próprio Estado, que demorou dois anos para convocar os aprovados para os cargos de oficial e soldado. Foi com base neste argumento, que a juíza Jaci Cavalcanti Gomes Atanázio, concedeu uma liminar determinando o reingresso dos 245 candidatos no certame em caráter de urgência, sob pena de multa diária de R$ 2.000 para a PM.

Paralelamente ao imbróglio jurídico, os aprovados aguardam a solução do caso. Convocada para o cargo de soldado, uma candidata que preferiu ter seu nome preservado, tinha exatos 28 anos quando prestou a prova. Atualmente com 31 anos e desempregada, ela ainda guarda esperanças de assumir o cargo. “Gastei dinheiro com exames, transporte, preparação para a prova escrita e física e o Estado demorou demais para nos convocar. Ver seu nome na lista de inaptos após enfrentar tanta coisa é frustrante”, confessou.

João Josimar Carvalho, 29, aprovado para soldado, vive situação ainda mais complicada. Em fevereiro, ele largou a cidade de Tefé (a 525 quilômetros de Manaus) após ser convocado pela PM para vir até Manaus apresentar os exames médicos e participar do teste de aptidão física (TAF). Ele, porém, foi impedido de participar do TAF, por conta da idade. Sem emprego, ele tem se virado com alguns bicos na capital para sobreviver.

“O Governo não nos convocou na data prevista. Quando fiz a prova eu tinha 27 anos, ou seja, estava apto para ingressar na corporação. Os anos foram se passando e nada. Então a culpa não é nossa, mas sim do Estado. Queremos apenas que nosso direito seja cumprido. Eu deixei esposa, filhos e o emprego em Tefé porque acreditei que assumiria o cargo aqui em Manaus. Tenho muita fé que desta vez, tudo vai se resolver”, desabafou João.

O concurso da Polícia Militar do Amazonas foi realizado em abril de 2011 e, no início de 2013, teve sua validade prorrogada por mais dois anos, por determinação do governador Omar Aziz, após anunciar a expansão do “Ronda no Bairro” para o interior.

Publicidade
Publicidade