Domingo, 26 de Maio de 2019
DECISÃO

Justiça manda multar motoristas de ônibus e sindicato diz que greve não vai parar

Multa de R$ 1 mil para cada hora de paralisação será aplicada aos trabalhadores grevista. Líder dos rodoviários diz que magistrados não entendem a gravidade da situação da categoria



PHOTO-2018-06-01-12-15-00.jpg
(Foto: Jair Araújo)
03/06/2018 às 19:27

Uma decisão liminar do juiz Antonio Itamar de Sousa Gonzaga, assinada na tarde deste domingo, determina que pelo menos 75% da frota dos ônibus de Manaus esteja nas ruas na manhã desta segunda-feira.  

Caso a determinação do juiz não seja cumprida, os motoristas que não trabalharem normalmente  serão multados em R$ 1 mil por hora de paralisação. De acordo com a decisão, "a aplicação da multa terá como limite a margem consignável dos holerites a ser individualmente considerada".

O Sindicato dos Rodoviários afirmou ainda não ter sido notificado da decisão, que foi tomada em resposta a uma Ação Civil Pública (ACP) ingressada pelo Ministério Público do Amazonas, na última sexta-feira.  Os grevistas afirmam, ainda, que a decisão judicial não muda a programação de colocar apenas 30% dos ônibus nas ruas nesta segunda-feira.

Para o juiz, o movimento paredista dos rodoviários é "claramente abusivo", pois "os movimentos reivindicatórios de empregadores e trabalhadores não podem obstar o exercício, por parte do restante da Sociedade, dos demais direitos fundamentais". Para o magistrado, a greve dos rodoviários está infringindo "o direito básico do cidadão consumidor do transporte coletivo, qual seja, o de se locomover normalmente pela cidade".

Outra decisão

No sábado, atendendo a um pedido do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), o juiz do Trabalho Gerfran Carneiro Moreira  acolheu o pedido para que o Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM) não impeçam o acesso dos funcionários às empresas, tampouco a saída de veículos, e que eventuais manifestações sejam feitas a uma distância de 100 metros das entradas das garagens.

Posicionamento do Sindicato

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira, afirmou que a categoria "não vai deixar isso afetar nossa luta". Ele ainda atacou o prefeito de Manaus, afirmando que ele está "desesperado".  "Ao invés de deixar a situação chegar a esse ponto, ele tinha que estar planejando medidas para garantir o emprego dos trabalhadores. Enquanto isso, querem fazer um verdadeiro massacre com a nossa classe, demitindo pais de família para economizar em benefícios".

De acordo com o sindicalista,  "os magistrados não estão entendendo a gravidade das coisas". " Vidas dependem desse movimento. Não estamos brincando de parar os ônibus. Estamos batalhando por uma causa. Nada muda para amanhã"


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.