Quinta-feira, 18 de Abril de 2019
publicidade
PHOTO-2018-06-01-12-15-00.jpg
publicidade
publicidade

DECISÃO

Justiça manda multar motoristas de ônibus e sindicato diz que greve não vai parar

Multa de R$ 1 mil para cada hora de paralisação será aplicada aos trabalhadores grevista. Líder dos rodoviários diz que magistrados não entendem a gravidade da situação da categoria


03/06/2018 às 19:27

Uma decisão liminar do juiz Antonio Itamar de Sousa Gonzaga, assinada na tarde deste domingo, determina que pelo menos 75% da frota dos ônibus de Manaus esteja nas ruas na manhã desta segunda-feira.  

Caso a determinação do juiz não seja cumprida, os motoristas que não trabalharem normalmente  serão multados em R$ 1 mil por hora de paralisação. De acordo com a decisão, "a aplicação da multa terá como limite a margem consignável dos holerites a ser individualmente considerada".

O Sindicato dos Rodoviários afirmou ainda não ter sido notificado da decisão, que foi tomada em resposta a uma Ação Civil Pública (ACP) ingressada pelo Ministério Público do Amazonas, na última sexta-feira.  Os grevistas afirmam, ainda, que a decisão judicial não muda a programação de colocar apenas 30% dos ônibus nas ruas nesta segunda-feira.

Para o juiz, o movimento paredista dos rodoviários é "claramente abusivo", pois "os movimentos reivindicatórios de empregadores e trabalhadores não podem obstar o exercício, por parte do restante da Sociedade, dos demais direitos fundamentais". Para o magistrado, a greve dos rodoviários está infringindo "o direito básico do cidadão consumidor do transporte coletivo, qual seja, o de se locomover normalmente pela cidade".

Outra decisão

No sábado, atendendo a um pedido do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), o juiz do Trabalho Gerfran Carneiro Moreira  acolheu o pedido para que o Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM) não impeçam o acesso dos funcionários às empresas, tampouco a saída de veículos, e que eventuais manifestações sejam feitas a uma distância de 100 metros das entradas das garagens.

Posicionamento do Sindicato

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira, afirmou que a categoria "não vai deixar isso afetar nossa luta". Ele ainda atacou o prefeito de Manaus, afirmando que ele está "desesperado".  "Ao invés de deixar a situação chegar a esse ponto, ele tinha que estar planejando medidas para garantir o emprego dos trabalhadores. Enquanto isso, querem fazer um verdadeiro massacre com a nossa classe, demitindo pais de família para economizar em benefícios".

De acordo com o sindicalista,  "os magistrados não estão entendendo a gravidade das coisas". " Vidas dependem desse movimento. Não estamos brincando de parar os ônibus. Estamos batalhando por uma causa. Nada muda para amanhã"

publicidade
publicidade
Presidente do Sinteam explica reivindicações dos professores em greve
Em terceiro dia de greve, professores do AM fazem protesto em frente à Seduc
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.