Sábado, 25 de Maio de 2019
Manaus

Lâmpadas da iluminação pública nas proximidades da ponte Rio Negro estão acesas há vários dias

Desperdício de energia é de 14.400 kw/h/mês e, em valores reais, chega a R$ 4.608 por mês; uma equipe já esteve no local mas a situação continua a mesma



1.jpg
Quem sai da ponte Rio Negro no sentido AM-070 percebe logo após o término da ponte as dezenas de postes com luzes acesas
14/01/2016 às 20:27

Pelo menos 50 postes de iluminação pública localizada no início da rodovia AM-070 (Manuel Urbano), que liga a cidade de Manaus ao município de Iranduba, permanecem com as luzes acesas 24h por dia.

Quem trafega pela área todos os dias afirma que a situação  se prolonga há alguns meses. É o que afirma o taxista Josias Rui da Silva,  que faz a rota Manaus– Manacapuru–Manaus. Segundo Josias,  as luzes acesas durante o dia é um desperdício desnecessário de energia elétrica e lamenta que isso aconteça.

“Eu faço essa rota todo dia e já tinha observado que as luzes ficam acesas tanto a noite quanto de dia. Ficar aceso de dia é um desperdício, assim fica gastando energia à toa e no final quem paga é a gente”, relatou o taxista.

Conforme informações de policiais militares que fazem a fiscalização dos carros na rodovia, o problema foi informado para empresa responsável pela iluminação. Uma equipe já esteve no local mas a situação continua a mesma.


“As luzes ficam assim, acesas, direto, 24 horas. Nós já informamos o problema e uma equipe veio aqui, passamos o problema e eles deram uma explicação mas não entendi o que era”, relatou o policial que não quis se identificar e  acrescentar que os técnicos mexeram nas fiações elétricas mas nada foi resolvido, as luzes permanecem acesas.

O motorista João Lima da Silva, que transita diariamente pela ponte Rio Negro aponta que a iluminação deve ser feita somente à noite para a segurança dos motoristas e pedestres. “Quando está tudo escuro é perigoso passar por aqui, principalmente para os pedestres que fazem caminhadas. A iluminação é até uma forma de transmitir segurança para todos nós. Mas durante o dia é desnecessário, é um desperdício”, comentou.

O Secretário de Obras de Iranduba, Albertino de Jesus Almeida de Melo, informou que não estava ciente do problema, no entanto, uma equipe será direcionada até o local. “Geralmente esse problema acontece porque as lâmpadas acendem e apagam automaticamente, alguma peça deve estar danificada”, explicou.

O secretário afirmou que uma equipe técnica vai até o local verificar a situação. Caso haja material para substituir,  o problema será resolvido até esta sexta-feira.

Trabalhos na ponte em andamento

Enquanto que aproximadamente 50 luminárias próximas à ponte Rio Negro passam o dia inteiro com as lâmpadas acesas, a situação da ponte é o contrário. No entanto, a Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), responsável pela manutenção da ponte Rio Negro, homologou, em dezembro do ano passado, o processo licitatório que definiu a empresa para executar serviços de manutenção da sinalização náutica, proteção de raio e iluminação da ponte.

A RR Construções é a empresa vencedora da licitação que vai executar os serviços de conservação dos sistemas de iluminação cênica, viária e do sistema de proteção contra raios na Ponte Rio Negro e mais os serviços de manutenção da proteção das defensas (pilares) e sinalização náutica da Ponte. A conservação da parte de iluminação viária da Ponte também está em andamento. A previsão é de que seja executada até o fim deste mês de janeiro, com a reposição dos cabos que foram furtados.

Média de gasto

A equipe de A CRÍTICA consultou o líder de localidade da Eletrobras Distribuição Amazonas de Iranduba, Roldane Oliveira, para verificar qual o seria o gasto em média das luminárias acesas ininterruptamente naquela localidade. 

Tarifa de R$ 0,32 kw/h

De acordo com Roldane Oliveira, levando em consideração que os 50 postes têm duas lâmpadas de 400 wats cada, pela tarifa atual de Iranduba, que chega a R$ 0,32 kw/h, o consumo total de energia das lâmpadas acesas chegaria a 28.800 kw/h/mês. A soma daria uma média de R$ 9.216 por mês.

R$ 4.608 por mês

O desperdício de energia seria a metade do consumo total de energia, ou seja, 14.400 kw/h/mês, pois as outras 12 horas (das 18h às 6h) está dentro do orçamento. Em valores, o despercídio chega a R$ 4.608 por mês.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.