Terça-feira, 18 de Junho de 2019
preço nas alturas

'Lanche Popular' do aeroporto de Manaus foi desativado um mês antes das Olimpíadas

A lanchonete popular, presente ainda 10 aeroportos do Brasil, foi criada pouco antes da Copa de 2014 com o objetivo de oferecer uma opção de preços acessíveis em serviços de alimentação, além de incentivar a concorrência entre os estabelecimentos dos aeroportos



dsfsdfhghj.JPG Foto: Lucas Amorelli/Arquivo AC
04/08/2016 às 22:29

A um dia do início das Olimpíadas, o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes não possui um “Lanche Popular” com preços controlados, presente em pelo menos 10 aeroportos do Brasil. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o local foi desativado em julho deste ano.

Em Manaus, a lanchonete popular foi criada com o objetivo de oferecer uma opção de preços acessíveis em serviços de alimentação, além de incentivar a concorrência entre os estabelecimentos do aeroporto.

Conforme a Infraero, o local iniciou as operações em Manaus no dia 1º de junho de 2014, mês em que foram realizados jogos da Copa do Mundo FIFA. No entanto, no dia 15 de julho deste ano, o Lanche Popular teve as atividades encerradas. O motivo, segundo a Infraero, se deve ao fato da empresa vencedora do processo licitatório ter solicitado o término do contrato.

Por meio de nota, a Infraero informou que está em fase de estudo para a ocupação da área. “Caso confirmado o interesse do empresariado local em explorar aquele espaço, a empresa lançará processo licitatório”, disse a empresa.

Preços

De acordo com a Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, realizada pela Secretaria de Aviação da Presidência da República, os preços dos produtos de lanchonetes e restaurantes dos aeroportos são motivo de queixa dos passageiros. O levantamento considera a opinião dos viajantes sobre um conjunto de 49 indicadores – um deles é o “preço” de alimentos e bebidas. Nos últimos dois anos, o quesito registra uma melhora de 20%, mas se mantém entre as notas mais baixas do estudo.

Em 2013, a Infraero divulgou os preços dos 15 produtos a serem vendidos no lanche. Uma porção de pães de queijo com seis unidades custaria, na época, R$ 5. O cliente ainda poderia comprar um misto quente no valor de R$ 3 e sanduíche natural a R$ 6. Entre as bebidas, um café simples de 60ml tinha o custo de R$ 1,60, um suco natural de 300ml a R$ 3,10, um refrigerante em lata a R$ 2,80 e uma água mineral a R$ 1,70.

Sobre os novos preços, a Infraero afirma que uma nova tabela poderá ser criada. Isso porque os valores podem ser reajustados anualmente, mediante a realização pesquisas. “Como não há no momento estabelecimentos com a chancela ‘Lanche Popular’ no aeroporto, não há tabela de preços. Uma nova tabela será definida no caso de lançamento de edital para a implantação do negócio”, informou. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.