Publicidade
Manaus
Manaus

Laudo sobre morte de estudante suspeita de dengue hemorrágica será entregue nesta sexta (19)

De acordo com a família, Orlando passou mal após ter tido contato com água poluída e foi vítima de negligência no hospital. Ele passou a sentir dores nas articulações e a ter sangramento na garganta 18/06/2015 às 21:40
Show 1
Documento deve esclarecer se o estudante de 15 anos, morreu vítima de leptospirose ou dengue hemorrágica.
Luana Carvalho Manaus (AM)

A família do estudante Orlando da Silva Júnior, 15, morto há um mês por suspeita de dengue hemorrágica ou leptospirose, deve receber hoje o laudo que apontará a causa da morte dele. De acordo com a irmã do jovem, Mayara Lima, a família aguarda apenas a emissão do documento para processar, por negligência, o Hospital Pronto Socorro Platão Araújo e o médico que atendeu o jovem.

“Depois de tudo que aconteceu não tivemos mais nenhum posicionamento da Susam em relação aos procedimentos administrativos que eles disseram que iriam fazer. A Vigilância em Saúde nos visitou, fez o acompanhamento na casa durante um dia, mas a família achou melhor sair do local e por conta própria estamos pagando aluguel em outro lugar”, comentou Mayara.

‘Caso’

Dois dias antes de morrer, o estudante havia ajudado a mãe a limpar a residência alagada por conta de uma forte chuva. Ele passou a sentir dores nas articulações e a ter sangramento na garganta. Os sintomas pioraram na sexta-feira, quando ele foi levado ao Pronto Socorro Platão Araújo,  na Zona Leste.

Segundo os familiares, chegando no hospital, o médico olhou a garganta de Júnior, o medicou com dipirona, não solicitou exames e em seguida liberou o paciente, que veio a falecer dois dias depois (17 de maio).

“Estamos muito desolados ainda. A avó dele, que era como mãe, estava doente e piorou muito depois da morte do Júnior. Já se passou um mês e queremos o laudo que nos informe a causa da morte”.

Na ocasião, o Instituto Médico Legal (IML) realizou a necropsia no corpo a pedido da família, mesmo que o procedimento só seja feito em casos de morte que envolva violência. No caso de morte por doença, a responsabilidade é do Sistema Único de Saúde (SUS).

Procurada pelo A CRÍTICA, a Polícia Civil, que havia informado, no dia 18 de maio, que o laudo sairia em até 15 dias, agora informou que a Secretaria de Segurança Pública (SSP–AM) é quem responde pelo IML. A SSP não respondeu até o fechamento desta edição.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que ainda está em andamento a sindicância que apura o caso mencionado pela reportagem. “A comissão aguarda o laudo do IML para complementar as informações, para chegar a uma conclusão em relação ao caso”.

Publicidade
Publicidade