Sexta-feira, 17 de Janeiro de 2020
Manaus

Lei Geral de Antenas favorece operadoras de telefonia do AM

A proposta acaba com a interferência dos municípios nos planos de expansão da cobertura das empresas de telecomunicações



1.gif Eduardo Braga (centro) conduziu audiência na CCT da qual participaram João Batista (à esq.) e Eduardo Levy (à dir.)
13/12/2012 às 08:11

O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) apresenta nesta quinta-feira (13), à Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) e às Comissões de Desenvolvimento Regional (CDR), Meio Ambiente (CMA) e Assuntos Sociais (CAS) o parecer sobre o projeto que trata da Lei Geral de Antenas (PLS 293/2012) de autoria do senador Vital do Rego (PMDB-PB).

Essa é uma das propostas mais aguardadas, nos últimos anos, pelo setor de telecomunicações, órgãos reguladores e pelos usuários de telefonia e radiodifusão no Brasil porque a lei vem pôr fim aos conflitos de interesses econômicos entre a União, Estados e Municípios e buscar a melhoria dos serviços prestados à população pelas operadoras.



A Lei de Antenas traz regras que tratam das políticas urbanas, ambiental e de saúde associadas à instalação de infraestrutura de telecomunicações no País. Distingue infraestrutura de redes (torres, postes, armários e dutos) dos elementos ativos e passivos (equipamentos, cabos, antenas, entre outros). “Essa separação estabelece limites de competência e resolve os conflitos jurídicos entre diferentes áreas do poder público”, explica Braga em seu parecer.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.