Publicidade
Manaus
Manaus

Lei que restringe o trânsito de carretas e caminhões é ignorada por motoristas de Manaus

A medida que passou a valer a partir do Decreto Municipal nº 2.100/2013, assinado pelo prefeito Artur, não é cumprida nas ruas do Centro da cidade 01/04/2013 às 11:15
Show 1
Na avenida Manaus Moderna, motoristas paravam os caminhões em qualquer lugar, complicando ainda mais o trânsito
Florêncio Mesquita ---

Menos de uma semana depois da Zona Máxima de Restrição de Circulação (ZMRC) começar a vigorar no Centro, caminhões e carretas continuam trafegando na área como se nada tivesse mudado. A medida passou a valer a partir do Decreto Municipal nº 2.100/2013, assinado pelo prefeito Artur Neto (PSDB), e restringiu a circulação de veículos de médio e grande porte em 14 ruas da área central.

Entre as vias que os veículos acima de 16 toneladas não podem trafegar, de segunda a sexta-feira, no horário de 6h às 20h, e nos sábados, de 6h às 17h, está a avenida Lourenço da Silva Braga, a Manaus Moderna, que apresenta problemas históricos pela presença de caminhões para carga e descarga. O detalhe é que, mesmo com a ZMRC em vigor, o trânsito no local e adjacências continua um caos, avaliam motoristas.

A Prefeitura de Manaus estabeleceu que os primeiros 15 dias após a lei entrar em vigor seriam para orientar os condutores sobre a mudança, sem punições. Nesse período, agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) informarão os motoristas sobre a restrição nos locais contemplados pela ZMRC e não poderão emitir multas.

Normas ignoradas

No entanto, os condutores de veículos pesados parecem desprezar as orientações, como foi constatado por A CRÍTICA.

Na quinta-feira, por exemplo, durante toda a manhã apenas um agente de trânsito tentava coordenar o fluxo de veículos do trecho da Lourenço Braga, na Manaus Moderna, até a rua Rocha dos Santos, enquanto caminhões e até carretas com contêineres passavam pelo local. Mesmo com servidores da prefeitura distribuindo panfletos e instalando placas de sinalização, o cumprimento da norma parece estar longe ser alcançado.

Conforme o decreto, além da Lourenço da Silva Braga, veículos acima de 16 toneladas não podem passar pelas ruas Marquês de Santa Cruz; dos Andradas; e avenida Joaquim Nabuco no trecho entre a rua dos Andradas e Quintino Bocaiúva; além da avenida Floriano Peixoto.

O documento também especifica que veículos acima de oito toneladas estão proibidos de circular de segunda a sexta-feira, de 6h às 20h, e nos sábados, de 6h às 17h, pelas avenidas Leonardo Malcher; Floriano Peixoto; 7 de Setembro; e Joaquim Nabuco, além da ruas Luiz Antony; Governador Vitório; Tamandaré e  Marquês de Santa Cruz.

Publicidade
Publicidade