Publicidade
Manaus
Manaus

'Leite do Meu Filho': zonas leste e norte de Manaus são alvos de fiscalização nesta quinta

A medida aconteceu após Artur Virgílio Neto ficar ciente de uma matéria publicada no portal acrítica.com sobre a denúncia de venda de latas de leite do programa Leite do Meu Filho, pelo valor de R$14,50 na Zona Leste. Ele esteve pessoalmente no local com a Semsa, Dvisa e a polícia 14/03/2013 às 12:01
Show 1
A Divisão de Vigilância Sanitária (Dvisa) verifica a comercialização ilegal de produtos direcionados às famílias de baixa renda
Bruna Souza Manaus, AM

O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, ordenou a realização de uma fiscalização, a partir desta quinta-feira (14), em mercadinhos e feiras da capital amazonense. A Divisão de Vigilância Sanitária (Dvisa) verifica a comercialização ilegal de produtos direcionados às famílias de baixa renda.

A ação foi motivada após a publicação de matéria no portal acrítica.com. A publicação, veiculada nessa quarta-feira (13), denunciava a venda irregular de latas de leite doadas no programa ‘Leite do Meu Filho’.

“Vamos verificar os estabelecimentos para que não ocorra o crime como o que aconteceu neste mercadinho. Creio que após a divulgação da ação da prefeitura com a Secretaria Municipal de Saúde, Dvisa e a polícia, a comercialização das latas de leite do programa Leite do Meu Filho será inibida, mas mesmo assim vamos fiscalizar’, relatou o prefeito.

Outras irregularidades

De acordo com diretor da Dvisa, Jeferson Caldas, dez equipes foram mobilizadas para fiscalizar supermercados, mercadinhos e comércios. Ainda segundo ele, as equipes irão verificar, até às 18h, as irregularidades do procedimento comum do órgão e se também a venda irregular de latas de leite provenientes do programa social.

O secretário municipal de saúde (Semsa), Evandro Melo ressaltou que a fiscalização começará a partir das 9h, primeiramente nas Zonas Norte e Leste.

Recadastramento

O recadastramento do programa ‘Leite do Meu Filho’ continua e em 60 dias a secretaria pretende finalizar o procedimento de avaliação da vulnerabilidade social dos cadastrados.

“Observamos que 96 mil crianças estavam cadastradas no programa, sendo que destas apenas 53 mil eram cadastradas no programa Bolsa Família. Verificando essa diferença é que estipulamos a necessidade também do cadastro nos dois programas com o objetivo de retirar quem não precisa do benefício e incluir famílias de baixa renda e que realmente necessite do leite”, observou Melo.

Legalização

Ainda na manhã desta quinta-feira, o dono do estabelecimento interditado após a denúncia divulgada no portal acritica.com compareceu na sede da Dvisa para legalizar o funcionamento do Mercadinho Super Ceará, localizado entre as ruas I e Perimetral, no bairro Armando Mendes, Zona Leste de Manaus.

Segundo o diretor do órgão, André Ribeiro, de 28 anos, assinou o Documento de Arrecadação Municipal (DAM) e pagou a multa estipulada no valor de R$3.015.

O comércio foi liberado e voltar a funcionar apenas proibido de comercializar carne. O proprietário tem um prazo de 30 dias para que todas as irregularidades sejam verificadas e o mercadinho esteja dentro dos procedimentos exigidos pela Dvisa.

Publicidade
Publicidade