Quinta-feira, 14 de Novembro de 2019
Manaus

Leitura da CPI da Água precisará de 20 horas para ser concluída

Se for mantido o mesmo ritmo de leitura, iniciada nesta sexta-feira (19), o relator da CPI, vai precisar de 12 dias para concluí-la. Os vereadores voltarão a se reunir na segunda-feira (22), às 14h



1.jpg Vereadores, membros da CPI da Água, ontem, durante a leitura do relatório
20/10/2012 às 10:44

O relator da CPI da Água, vereador Marcel Alexandre (PMDB), começou nesta sexta-feira (19), a leitura do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que pede a intervenção no sistema, extinção da concessão, anulação do contrato com a empresa Manaus Ambiental e o ajuizamento de ações contra o atual prefeito Amazonino Mendes (PDT), e os ex-prefeitos Alfredo Nascimento (PR), Luiz Alberto Carijó (PDT) e Serafim Corrêa (PSB). Foram lidas, em uma hora e meia, 29 páginas das 353 páginas que compõem o relatório.

O presidente CPI, vereador Leonel Feitoza (PSD), suspendeu os trabalhos da comissão. Os vereadores voltarão a se reunir na segunda-feira, às 14h. Se for mantido o mesmo ritmo de leitura, o relator da CPI da Água vai precisar de 12 dias para concluí-la.



Composta pelos vereadores Leonel Feitoza (PSD), Marcel Alexandre (PMDB), Fabrício Lima (PRTB), Mário Bastos (PRP), Joaquim Lucena (PSB), Waldemir José (PT) e Jeferson Anjos (PV), a reunião começou às 10h30.

Segundo Leonel Feitoza (PSD), é necessário fazera leitura do relatório antes da votação para dar publicidade ao documento.

“Todo o ato deve ser público para que os órgãos citados tomem conhecimento para posteriores defesas então tem que ser lido o relatório. Depois dessa fase vamos passar para as discussões das emendas e a votação do relatório final”, explicou o vereadorLeonel Feitoza.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.