Quinta-feira, 27 de Junho de 2019
Na capital

Levantamento para detectar criadouros do Aedes aegypti inicia na segunda-feira

Esse é um método de amostragem simples que busca facilitar a obtenção pelo serviço de saúde de informações a cerca do índice de infestação do mosquito, principal transmissor de doenças como Febre do Zika Vírus, Dengue e Febre Chikungunya



1057936.JPG O Levantamento será executado em 27 mil residências, em todos os bairros de Manaus (Foto: Márcio Silva)
12/08/2016 às 13:51

O segundo Levantamento Rápido de Índice para Aedes Aegypti (LIRAa) de 2016, realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) começa na segunda-feira, 15, e segue até 2 de setembro.

Esse é um método de amostragem simples que busca facilitar a obtenção pelo serviço de saúde de informações a cerca do índice de infestação do mosquito, principal transmissor de doenças como Febre do Zika Vírus, Dengue e Febre Chikungunya.

O Levantamento será executado em 27 mil residências, em todos os bairros de Manaus, conforme orientações do Ministério da Saúde. Serão realizadas visitas domiciliares, buscando identificar e coletar as formas imaturas do mosquito (larvas), bem como eliminar e/ou tratar os potenciais criadouros.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, estarão em campo aproximadamente 350 profissionais, que já estão em treinamento nos distritos de Saúde, como agentes de controle de endemias, supervisores, coordenadores e demais profissionais da Semsa.

“Eles irão realizar, ainda, ações de Educação em Saúde para orientar a população quanto aos sinais e sintomas das doenças transmitidas pelo vetor e as formas de prevenção para minimizar os riscos e combater os focos propícios para a criação e reprodução do mosquito”, ressaltou Homero.

O primeiro LIRAa do ano, realizado entre 18 de janeiro a 05 de fevereiro, apontou que Manaus permanece em médio risco para doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti. O valor encontrado para o Índice Predial foi 1,8.

Os demais Levantamentos, realizados anteriormente no município, apontaram grave risco para transmissão de doenças por esse vetor. De acordo com os indicadores de risco, a capital amazonense possui 17 bairros em alto risco e 25 bairros em médio risco.

“A população é a nossa grande parceira e entende que o controle vetorial do Aedes é uma ação de responsabilidade coletiva e que não se restringe apenas aos profissionais da saúde, uma vez que a maioria dos criadouros detectados desse mosquito encontra-se em ambiente doméstico ou funcional. É necessária a inspeção semanal por meio da check list ‘10 minutos contra o Aedes’”, afirmou Homero.

Números em Manaus

Segundo o último Informe Epidemiológico divulgado pela Semsa, Manaus permanece com apenas um caso de microcefalia causado pelo Zika Vírus. Nove bebês estão sendo investigados se há relação com o vírus, e das 19 notificações, cinco casos já foram descartados.

No total, a capital tem 2.779 pessoas com Zika Vírus, sendo 401 grávidas. Já foram implantadas 2.118 Brigadas de Combate ao Aedes, com 9.083 pessoas voluntárias no combate ao mosquito. A Vigilância Sanitária realizou 1.597 inspeções e 111 autuações em locais de risco de focos do mosquito.

*Com informações da assessoria

 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.