Publicidade
Manaus
POLÍCIA

Líder do Comando Vermelho em Manaus é preso em operação no bairro da União

Tom Santos Paz, de 23 anos, estava foragido desde 2016 quando escapou de presídio por um túnel de 11 metros de extensão 12/10/2018 às 20:25 - Atualizado em 13/10/2018 às 10:27
Show homicida a44ff032 bae0 4da8 ac3b 98fc60f9c95d
Foto: Divulgação
Márcia Monteiro Manaus (AM)

Um dos líderes da facção Comando Vermelho em Manaus teve seu feriado frustrado após uma ação conjunta da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), Grupo Fera, Detran e Secretaria de Segurança Pública do Amazonas, que surpreendeu moradores do bairro da União, Zona Centro-Sul de Manaus, nesta sexta-feira (12).

Tom Santos Paz, de 23 anos, estava foragido da Justiça desde 2016, quando fugiu com outros 38 presos do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM1) por um túnel de 11 metros de extensão. 

O Coordenador de Operações, Álvaro Steinheuser, informou que a prisão de Tom se deu após denúncias de moradores do bairro sobre fugitivos do sistema penal naquela região.

A operação teve como objetivo parar a prática de intimidação dos traficantes da área diante a comunidade, que de acordo com o Secretário de Segurança Pública do Amazonas, Amadeu Soares, foi o ponto inicial das investigações que fizeram com quem fosse realizada a operação pelas ruas do bairro: “Agora a conversa é outra, vamos mostrar que quem manda no Amazonas não é nenhuma facção, mas sim, o Estado. Não iremos mais admitir opressão”, finalizou.

O Delegado Geral adjunto, Ivo Martins, explicou que chegou a conhecimento da Polícia Civil, vídeos com homens portando fuzis pelo bairro. “Hoje, tiramos de circulação um simulacro de fuzil, que pode ter sido o que apareceu nas mídias, mas não descartamos de que haja uma arma dessas de verdade, e nem que esses objetos eram usados para assaltos, intimidação e mostrar poder para as outras facções” disse Ivo Martins.

Durante a operação que contou com 45 homens fazendo varredura no bairro, foram apreendidos um revólver calibre 18, um simulacro de pistola, um simulacro de fuzil, munições e uma moto com restrição de roubo.

O delegado Guilherme Torres, da Seaop, afirmou que a operações irão continuar por toda a cidade.

Publicidade
Publicidade