Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
WhatsApp_Image_2018-06-01_at_09.00.37.jpeg
publicidade
publicidade

REVOLTA

Líder dos rodoviários culpa prefeito por prejuízos à população: 'sem moral'

Givancir Oliveira diz que Arthur Neto não tem poder sobre os empresários e que trabalhadores apenas lutam por seus direitos


01/06/2018 às 08:59

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM), Givancir Oliveira, disse que a manifestação da categoria nesta sexta-feira (1º), quando os trabalhadores pararam os coletivos e fecharam o Terminal de Ônibus 1 da av. Constantino Nery, foi um ato isolado de motoristas e não foi organizado pelo sindicato. 

Ele atribuiu a culpa do ato, que prejudica milhares de usuários do transporte coletivo, ao prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. "Eu nunca vi um prefeito tão sem moral, que não tem nenhum poder sobre as empresas que ele comanda", afirmou Givancir, acrescentando que os trabalhadores estão "revoltados porque querem aumento de salário". 

Para Givancir, o prejuízo que a população sofre não é culpa dos rodoviários, que segundo ele apenas lutam pelos seus direitos. "Se as empresas têm concessão da Prefeitura de Manaus para atuar, quem está prejudicando é ele e não o trabalhador".

Os rodoviários cobram um reajuste de 3,5% em relação ao dissídio de 2018, mas até aqui não houve acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram). A categoria já sinalizou com o aceite de até 3%, mas exige o pagamento de imediato, enquanto o Sinetram quer fragmentar o pagamento para julho e agosto.  

Prefeitura de Manaus

Em nota, a Prefeitura de Manaus afirmou que  “mediou por dois dias negociações entre o Sinetram e os rodoviários para que entrassem em um acordo” e que “durante as mesas de negociações mediadas pelo prefeito Arthur Neto, grande parte dos pleitos dos trabalhadores foram acordados, o que já deveria representar à categoria e ao sindicato patronal um início de entendimento”.

Sobre as acusações de Givancir Oliveira contra o prefeito Arthur Neto, a administração municipal afirmou que lamenta o comentário e continua à disposição para negociar. “A prefeitura lamenta o comentário do representante do Sindicato dos Rodoviários e reforça que como dever legal de zelar pelo bem da cidade e sua população, o prefeito Arthur Virgílio Neto e seus técnicos do Município continuarão à disposição para ajudar em outras rodadas de negociações e para que o transporte volte a ser oferecido a quem dele precisa”.

publicidade
publicidade
Trecho da avenida Constantino Nery é interditado nesta quarta (17) para obras
Protesto de 300 presos é contido por GIP em unidade prisional em Manaus
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.