Publicidade
Manaus
RELATOS

AM registra 1.083 denúncias de casos de violência contra a mulher no Ligue 180

Os dados foram divulgados pelo Ministério dos Direitos Humanos (MDH) e são referentes aos seis primeiros meses do ano no Estado do Amazonas 14/08/2018 às 15:39 - Atualizado em 14/08/2018 às 19:59
Show viol ncia agora 9bfb10b7 4ef0 44e7 9f15 2c4db7bd5232
São Paulo e Rio de Janeiro foram os estados que mais denunciaram. Foto: Reprodução/Internet
Amanda Guimarães Manaus (AM)

O serviço de utilidade pública Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher) registrou 1.083 denúncias de casos de violência contra a mulher nos seis primeiros meses deste ano no Amazonas. Conforme balanço do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), o AM foi o 16º colocado entre os estados do Brasil que mais fizeram relatos. Em relação ao primeiro colocado, a diferença é de 808%

Neste ano, os cinco primeiros colocados foram São Paulo (9.863), Rio de Janeiro (9.863), Minas Gerais (6.499), Bahia (4.813) e Rio Grande do Sul (3.248). O número de pessoas que não informaram a região que estavam fazendo as denúncias chegou a 14.770. No total, são 72.825 relatos registrados no Brasil pelo Ligue 180 até junho.

Em comparação a todo ano de 2017 e os seis primeiros deste ano, os relatos de casos de violência contra mulher aumentaram no Amazonas. Enquanto os números de relatos ao Ligue 180 chegou a 1.607 em todo o ano passado, que representa uma média de 133 casos por cada mês. Neste ano, de janeiro a junho, a média foi de 180 denúncias por mês.

No ano passado, o Amazonas ocupou a 20ª posição em estados do país que mais fizeram denúncias. O primeiro colocado foi novamente São Paulo (21.691), seguido pelo Rio de Janeiro (20.242), Minas Gerais (13.208), Bahia (11.353) e Rio Grande do Sul (7.107).

Precisa denunciar

Procurada pela reportagem, a delegada Débora Mafra, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra mulher (DECCM) do bairro Cidade de Deus, afirmou que na maioria das vezes, as vítimas ligam para o 180 com o objetivo de chamar a polícia.  

“A mulher tem procurado mais o 180. Mas nem sempre é para denunciar. Procura mais para fazer com que a Polícia Militar vá até o local do crime. Elas acham que é o 190 da mulher”, explicou a delegada.

Mesmo considerando o 180 um canal que ajuda as mulheres, a delegada destaca que o melhor local para se fazer a denúncia de crimes de violência é na delegacia. “O melhor é procurar a delegacia, porque estaremos acompanhando toda a situação. Apenas neste ano, na delegacia que atuo, já registramos 7 mil boletins de ocorrências relacionados a crimes de violência contra a mulher”, explicou.

Casos no Brasil

Conforme o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), de janeiro a julho de 2018, o Ligue 180 registrou no Brasil 27 feminicídios, 51 homicídios, 547 tentativas de feminicídios e 118 tentativas de homicídios.

No mesmo período, os relatos de violência chegaram a 79.661, sendo os maiores números referentes à violência física (37.396) e violência psicológica (26.527).

Entre os relatos de violência, 63.116 foram classificados como violência doméstica. Os dados abrangem cárcere privado, esporte sem assédio, homicídio, tráfico de pessoas, tráfico internacional de pessoas, tráfico interno de pessoas e as violências físicas, moral, obstétrica, patrimonial, psicológica e sexual.

Ligue 180

O Ligue 180 recebe as denúncias de violência e, com serviço humanizado, acolhe e registra as manifestações, faz os encaminhamentos e dissemina informações sobre a Lei Maria da Penha, os Direitos da Mulher, seu amparo legal.

O canal também esclarece sobre os tipos de violências, tais como violência física, doméstica, sexual, moral, patrimonial, obstétrica, no esporte, contra a mulher imigrante, emigrante e refugiada, cárcere privado e crimes cibernéticos. Assim, a ferramenta cumpre seu papel de difundir, encaminhar e acompanhar os trabalhos da Defensoria e Promotoria Pública, da rede de serviços no atendimento e acolhimentos disponíveis.

Publicidade
Publicidade