Publicidade
Manaus
PRECAUÇÃO

Liminar da Prefeitura pede suspensão de paralisação de agentes de endemias

Sindicato que representa mais de 700 trabalhadores anunciou paralisação das atividades para esta sexta-feira 31/08/2016 às 19:23
Show endemias
Paralisação afetaria ações de combate ao mosquito Aedes aegypti em Manaus / Foto:
acritica.com* Manaus (AM)

A Procuradoria Geral do Município (PGM) ingressou nesta quarta-feira, 31, com ação judicial com pedido de liminar para que seja considerada ilegal a paralisação dos agentes de endemias, anunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Controle e Combate de Endemias no Estado Amazonas (Sindagente) para a sexta-feira, 2. Manaus conta com 702 agentes comunitários de endemias (ACES) disposicionados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

O pedido de liminar considera, segundo o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, os prejuízos que a paralisação dos serviços dos ACES pode causar, tendo em vista a situação emergencial decretada no município em razão da epidemia por doenças infecciosas virais. Os agentes exercem atividade fundamental no controle e combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus – e da malária.

“Fui surpreendido com essa greve, porque somente tivemos uma reunião solicitada pelos agentes e sempre estou aberto para recebê-los e discutir as propostas. O que eles reivindicam, não depende somente da Semsa, porque eles são vinculados e pagos pelo Estado”, ressaltou Homero.

Entre as atividades, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) também conta com os ACES para a realização do Levantamento Rápido do Índice de Aedes (Liraa), que será finalizado esta semana e, em seguida, inicia o plano operativo de ações de controle vetorial em áreas da cidade com médio e alto risco de infestação resultado dos indicadores do Liraa.

“No combate à malária, a ausência desses servidores nas atividades fim em período sazonal (agosto a outubro), será um fator crítico para aumento na transmissão da doença por causa do fenômeno enchente-vazante. Já em agosto deste ano, mesmo com o trabalho dos agentes, Manaus ocupou o primeiro lugar no ranking estadual do número de casos, exigindo a intensificação das ações de controle vetorial”, declarou Homero.

A Prefeitura de Manaus aguarda decisão em resposta ao pedido de liminar para as próximas horas.

*Com informações de assessoria 

Publicidade
Publicidade