Publicidade
Manaus
REFLEXOS

Litro da gasolina já chega na casa dos R$ 5 nos postos de combustível de Manaus

Postos de pelo menos três zonas da cidade já começam a cobrar, em média, R$ 4,99 pelo litro da gasolina comum e até R$ 5,16 no caso da gasolina aditivada 18/09/2018 às 11:40
Show whatsapp image 2018 09 18 at 11.20.08 2bd81bb3 8834 4d42 a787 5dc0247eeec7
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
Amanda Guimarães Manaus

O litro de gasolina comum em Manaus chegou a R$ 4,99 após a Petrobras anunciar um reajuste no valor do combustível no Brasil. Os estabelecimentos localizados na Zona Centro-Sul, Norte e Oeste da capital são os que mais alteraram os valores. O Sindicato dos Combustíveis do Amazonas (Sindicombustíveis-AM), não descarta outros aumentos nos próximos dias.

A reportagem percorreu alguns pontos da cidade e comprovou o aumento nos preços na manhã desta terça-feira (18). O Posto Shell, localizado na Avenida André Araújo, é um dos estabelecimentos que alterou o valor para R$ 4,99. O Posto Atem e Auto Posto Gemar, localizados na Avenida Max Teixeira, também cobraram dos clientes o mesmo valor para o litro da gasolina. 

Dois postos de bandeira Equador, um Atem, e outro BR, localizados na Avenida do Turismo, na Zona Oeste de Manaus, seguiram o aumento dos concorrentes. Os clientes da Zona Centro-Sul encontraram também o valor de R$ 4,99 nos posto Ipiranga, na avenida Alvaro Maia.

Na Zona Norte, o Posto Equador, localizado na Avenida Max Teixeira, vendia o litro de gasolina por R$ 4,97. Um dos funcionários do estabelecimento, que preferiu não se identificar, afirmou que o aumento foi colocado na placa na manhã desta terça-feira. “Tem sido pouca a procura. Quando os clientes chegam e preferem pagar no cartão do que no dinheiro”, comentou.

Valores baixos

Mesmo com a alteração no preço, alguns postos de Manaus funcionaram nesta terça-feira (18), com valores abaixo de R$ 4,99. O Posto Shell, na avenida General Rodrigo Otávio, na Zona Sul, operou com o litro da gasolina comum em R$ 4,67.

Mais adiante, no Posto Equador, localizado próximo ao Studio 5, o valor também estava de R$ 4,67. Na Zona Leste, no bairro Mauazinho, o Posto PetroAmazon, operou com o litro da gasolina de R$ 4,64. Os consumidores encontraram o valor do litro de R$ 4,66 no Posto PetroAmazon, próximo ao Terminal 4, na Zona Norte.

‘Reféns da Petrobras’, diz sindicato 

O presidente do Sindicombustíveis-AM, Eraldo Teles, afirmou que o preço aplicado na bomba de combustível é reflexo dos constantes aumentos da Petrobras. “Para se ter uma idéia, do último dia 18 de agosto até dia 18 de setembro, o custo do combustível na refinaria subiu mais de 30 centavos. Os revendedores de combustíveis são apenas o elo entre as distribuidoras e o consumidor final. Quando se aumenta o preço de custo é inevitável que se aumente o preço de venda. Somos tão reféns quanto a população”, destacou o Eraldo.

O representante do sindicato afirmou que os revendedores até tentam fazer promoções, mas com os reajustes da Petrobras não conseguem. “Muitos revendedores ainda possuíam estoques remanescentes ou fizeram promoção para aumentar o fluxo de cliente, entretanto com a política da Petrobrás em alterar os preços diariamente muito provavelmente haverá mais postos de combustíveis repassando o aumento”, afirmou.

Sobre aumentos futuros, o presidente do  Sindicombustíveis-AM não descartou outras alterações no valor. “Não temos como precisar para quanto a gasolina vai, pois cada revendedor é livre para praticar o preço que bem entender, entretanto os repasses da Petrobrás são feitos diariamente, isso praticamente força o revendedor a repassar o preço ao consumidor. Caso tenho novo aumento da Petrobrás é provável um novo repasse”, completou.

Publicidade
Publicidade