Publicidade
Manaus
CRIME AMBIENTAL

Lixeiras viciadas tomam conta das margens do igarapé de Petropólis

Os moradores afirmam que faz duas semanas que o caminhão-caçamba de recolhimento de lixo não passa para retirar o acumulado 25/07/2017 às 14:16
Show lllllllllllllllll
São várias as lixeiras viciadas ao longo da rua Marques de Silveira, que margeia o igarapé de Petropólis, na Zona Sul (Foto: Evandro Seixas)
Rebeca Mota Manaus (AM)

O despejo irregular de restos de materiais de construção, resíduos domésticos, móveis usados e garrafas plásticas formaram várias lixeiras viciadas na rua Marques de Silveira (antiga rua Antônio Passos de Mendonça), bairro Petrópolis, zona Sul.

O principal ponto de acúmulo de lixo está nas calçadas da rua marginal do igarapé de Petropólis e assim dificultam a passagem de veículos e de pedestres.

Os moradores afirmam que faz duas semanas que o caminhão-caçamba de recolhimento de lixo não passa para retirar o acumulado. E que além de estar espalhado pelo chão, o lixo incomoda pelo mau cheiro e atrai ratos para as casas próximas.

De acordo com a professora Maria do Carmo Rodrigues, os problemas do descarte incorreto do lixo e da demora da prefeitura de recolher existem no local por anos. “O acumulo de lixo só atrai ratos ao local, é uma sujeira horrível, fora o fedor que é ocasionado pelo lixo e que invade as nossas casas”, diz.

O espaço que deveria abrigar apenas árvores e servir ao deslocamento de pedestres, porém, diariamente é tomado por lixo deixado por moradores, e principalmente, comerciantes. Indignada, a autônoma, Izélia Negreiros, 59, conta que esses problemas são resultados da falta de educação dos próprios moradores da região.

“Isso aqui não tem jeito não. A prefeitura já colocou fiscal aqui e quando estes viram de costa eles jogaram os sacos de lixo aqui, já jogaram foi um sofá aqui dentro do igarapé. Mas a prefeitura não multou e não fez nada. Os próprios moradores têm que se reeducar e acho que devia existir um projeto que ensinasse e instruísse essas pessoas a fazerem o descarte correto”, argumenta a moradora.

O fiscal da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Francisco Chagas, conta que todos os dias a partir das 22h até as 6h a coleta por meio de caçambas é realizada na localidade. “Na medida do possível vamos procurar resolver essa situação, pois aquela área ali é coletada somente à noite por caçamba. E nós sempre procuramos educar as pessoas para não jogarem lixo naquele local, mas quando saímos de lá, eles jogam”, diz. A situação é pior porque parte do lixo ainda escorre para o igarapé.

Atitude criminosa

Adotada em 2013 pelo Rio de Janeiro e, em seguida, por outras cidades brasileiras, a multa pelo descarte de lixo nas ruas vale para todo o País, após projeto aprovado na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) do senado.

Publicidade
Publicidade