Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
Lojas de material de construção

Lojistas apostam em alta nas vendas de material de construção

Vendas devem aumentar em 20% e novas vagas de trabalho devem ser abertas



1.png No verão aumenta demanda por material de construção, entre eles o tijolo
12/06/2013 às 08:51

Verão é tempo de sol e também tempo de mãos à obra. Este é o período de maior aquecimento nas vendas de material de construção por quem deseja construir ou reformar um imóvel. As principais lojas do setor em Manaus estimam um acréscimo de 20% no movimento a partir desse mês e seguem em boa temporada até meados de dezembro.

As contratações também aumentam em torno de 15%. Na loja Constroi, que fica na rua Perimetral, no Parque Dez, Zona Centro-Sul, o maior fluxo de clientes vai exigir a contratação de pelo menos 10 funcionários, o que significa 10% dos atuais 100 trabalhadores empregados pelo estabelecimento.



Com a inauguração de sua mais nova loja que terá 4 mil metros quadrados de exposição, a Cocil, que fica na esquina da Rua Pará com Avenida Constantino Nery, São Geraldo, Zona Centro-Sul, planeja contratar 25 funcionários. A estréia da loja está prevista para o próximo mês. Segundo o gerente operacional da Cocil, Márcio Chacon Melo, a construção civil está sujeita à sazonalidade nas vendas. “Em tempo de chuva nós vendemos muito material para impermeabilidade, como tintas anti-mofo, telhas. Já no verão, tem mais saída os produtos para obras novas e reformas”, explicou.

Mas o período aquecido também traz consigo o reajuste dos produtos, desde material básico de construção como areia e cimento, até material hidráulico, elétrico, ferro, louças sanitárias, acabamentos, entre outros. “Nós acompanhamos a tendência do fornecedor. Mas o repasse nem sempre é passado ao consumidor”, disse o gerente administrativo da Constrói, Loris Edson.

A rede Força Construtiva, especializada em material de acabamento de construção, projeta um aumento de 15% nas vendas com a chegada do verão e das obras externas. Já as contratações devem permanecer estáveis. “Não costumamos contratar mais gente, porque já viemos preparando a equipe durante o ano para atender esse maior movimento”, disse a gerente da loja da Compensa, Geralda Leila.

Na JLN Materiais de Construção, da Compensa, segundo a gerente de vendas Socorro Lopes, as vendas já melhoraram este mês, depois de oscilarem ao longo do ano. “Em julho esperamos 20% de melhora”, ressaltou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.