Domingo, 20 de Outubro de 2019
MERCADO

Lojistas de Manaus esperam alta de 4% nas vendas de Carnaval em relação a 2018

Os produtos mais procurados no feriado de carnaval são as bebidas – como cerveja e drinks (49%), água, sucos ou energéticos (46%) e refrigerantes (42%)



compras_dois_3B2DFF80-A1FD-4856-8BE2-12F063C7978C.JPG Armarinho Manoela, no Centro, renovou o estoque a partir de novembro para atender a demanda dos foliões (Foto: Sandro Pereira/Free lancer)
03/03/2019 às 09:07

O clima de alegria anima os foliões a consumir. O carnaval é uma festividade que aumenta a venda no comércio de Manaus, principalmente, de produtos utilizados na produção de fantasias e adereços. Os setores especializados e diretamente ligados ao carnaval estimam um crescimento de 4% nas vendas, em relação ao mesmo período de 2018, segundo estatísticas da Câmara de Dirigentes de Lojistas de Manaus (CDL).

“A expectativa de crescimento destes setores é em torno de 4% em relação ao ano passado. Em 2018, a alta foi de 1,2%. Neste ano, temos mais pessoas empregadas, otimismo maior e um salário a mais. Os trabalhadores receberam janeiro e fevereiro. E com o carnaval em março, acreditamos que a maioria das lojas vão bater as suas metas em fevereiro porque não tivemos menos dias de venda”, explica o presidente do CDL Ralph Assayag.



A bioquímica Laura Chaves vai fazer um baile de carnaval em casa e pretende gastar R$ 250 com o aluguel de mesas, decoração e guloseimas. “Eu e o meu marido vamos nos fantasiar de piratas e as crianças de outro tema. Vamos investir R$ 170 em cada fantasia visando a qualidade, conforto e o material que não seja tão quente. É carnaval, temos que nos sentir bonita”, avalia a professora.

Fátima Brito, proprietária do Armarinho Manoela, localizado no Centro, renovou o estoque da loja a partir de novembro para atender a demanda dos foliões. Segundo a empresária, o carnaval é o período de alta nas vendas com grande fluxo de consumidores nos dias que antecede as festas de carnaval, principalmente, na segunda-feira gorda de carnaval.

“Esperamos vender pelo menos o registrado no ano passado, e o que foi investido, porque o carnaval é uma incógnita sempre.  O comerciante fica naquela tensão, ansioso para vender e só vai disparar nos dias que antecede as festas. Temos opções para todos os bolsos desde aquela consumidor que deseja acessórios, fantasias ou prefere a customização”, afirmou a empresária.

Produtos em alta

Levantamento do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR) revelou que os produtos mais procurados no feriado de carnaval são as bebidas – como cerveja e drinks (49%), água, sucos ou energéticos (46%) e refrigerantes (42%), além de comidas ou lanches fora de casa (49%) e itens para churrasco (40%). Já fantasias e adereços, foram citados por 28% dos entrevistados.

A expectativa do proprietário de uma distribuidora de bebidas, Júnior Dias é de crescimento nas vendas após o investimento de R$ 24 mil em produtos. Conforme o comerciante, o consumidor procura a cerveja pelo menor preço. “Se você tiver preço, vende. Os grandes supermercados conseguem um bom para garantir a revenda, diferente dos pequenos comerciantes. Muitas vezes vamos nesses locais comprar mercadoria porque está mais barato do que no próprio fornecedor”, disse.

Serviços

Com o feriado prolongado e muitos blocos pela cidade, as corridas nos aplicativos de transporte de passageiros e os pedidos de delivery de comida devem aumentar.  A motorista de aplicativo Flávia Ferreira  vai aproveitar o aumento na tarifa e a alta demanda pelo serviço para trabalhar no carnaval. "Feriado é sempre bom. Com o preço dinâmico a gente sempre ganha a mais”, disse.

Reciclagem

O lixo produzido durante os desfiles e blocos de carnaval se transforma em renda para os catadores. De acordo com a  diretora administrativa da Associação dos Catadores de Recicláveis (ACR), Irineide Lima, o período festivo registra o maior consumo de latinhas e garrafas pet.

Pousadas

Apesar da extensa programação carnavalesca na capital, há quem prefira buscar opções fora de Manaus. E pôr o pé na estrada é uma alternativa viável, principalmente, quando o destino envolve municípios da região metropolitana.

“Todos os anos vamos para a ilha de Amatari, em Itacoatiara, para o retiro da igreja. Vamos ficar lá na chácara até quarta”, contou o estudante de engenharia mecânica, Thiago Barros.

De acordo com o proprietário do Cirandeira Bela, Froylan Athayde, o feriadão de carnaval proporciona o aumento de 70% no fluxo de clientes. O local, na  estrada de Novo Airão (AM 352 quilômetro 10), surgiu como um balneário familiar, mas evoluiu para uma pousada com atrativos naturais a poucos minutos do Município de Manacapuru. “Todas as reservas já estão preenchidas e o nosso público são pessoas que buscam sossego longe da cidade grande, descanso e lazer em família”, disse o empresário.

O presidente da Associação Amazonense dos Municípios, Andreson Cavalcante, ressaltou que o carnaval atrai turistas pela variedade de fatores que o município do interior oferece, além de dar visiblidade e reforçar a cultura regional. “Incentiva, ainda, a economia informal, como por exemplo, empreendedores que ainda não se formalizaram, mas exercem atividades que geram renda. Essas festas já estão previstas no orçamento das prefeituras, de modo que o saldo é positivo para todos”, afirmou Andresson, que é prefeito de Autazes.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.