Publicidade
Manaus
CRESCIMENTO

Lojistas de Manaus esperam alta de até 5% nas vendas de fim de ano em relação a 2016

Com ruas do Centro da cidade lotadas e crescimento nas vendas, entidades e lojistas têm a perspectiva de vender mais este ano na capital manauara 17/12/2017 às 18:56 - Atualizado em 18/12/2017 às 11:17
Show mat ria 13
Após dois anos consecutivos de queda, as vendas para o Natal de 2017 devem chegar a R$ 51,2 bilhões no Brasil (Foto: Marcio Silva)
Rebeca Mota Manaus (AM)

As vendas de Natal deste ano em Manaus devem ter alta de 3% a 5% frente ao mesmo período do ano anterior, segundo entidades do comércio. Este ano o setor também voltou a abrir vagas temporárias, com a contratação de 2 mil pessoas.

Com sinais de recuperação naa economia, a estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL Manaus) é de que as vendas cresçam 4% a 5% em relação ao mesmo período de 2016.

“Essa é nossa estimativa, mas é possível ainda que chegue a 6%, pois muitas empresas estão pagando 13º salário agora e pouquíssimas são as que pagam a primeira parcela em julho”, conta o presidente da CDL Manaus, Ralph Assayag.

O presidente da Federação do Comércio (Fecomércio-AM), José Roberto Tadros, acredita num Natal melhor em 2017, tanto para contratação de temporários como em vendas de final de ano.

“As vendas deste ano serão melhores e teremos um incremento em relação ao ano passado, descontado a inflação de algo em torno de 3% a 5%. Pode ser que haja uma explosão do consumo como também da demanda reprimida, porque várias pessoas ficaram sem consumir, umas por não terem emprego e outras por medo de perderem o emprego”, explica.

 Centro lotado

Nas principais ruas de comércio do Centro de Manaus é possível observar o cenário de ruas lotadas, lojas movimentadas e diversas promoções. E faltando apenas duas semanas para o Natal, os lojistas esperam crescer mais com a segunda parcela do 13º salário.

É o caso do gerente do Art’s Calçados, Cícero Alves, que atua há mais de 20 anos no comércio e espera um crescimento ainda mais na loja. Ele estima que entre novembro e o inicio de dezembro teve um crescimento de 5% na loja em que trabalha.

“Desses 20 anos estamos percebendo uma melhoria. Poderia ser muito melhor e mais movimentado em comparação a anos anteriores, antes da crise chegar. Mas este ano está melhor do que 2016. Acreditamos que até o dia 20 cresça ainda mais as vendas”, revela.

Já a gerente da loja Centro da Moda, Socorro Leite, explica que as vendas de roupas melhoraram nas últimas semanas e que o fluxo foi intenso. Ela também espera que as vendas "aqueçam" nos próximos dias.

 Nacional

Após dois anos consecutivos de queda, as vendas para o Natal de 2017 devem chegar a R$ 51,2 bilhões, uma alta de aproximadamente 3% em relação a 2016.

Os dados da pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) são endossados pela Associação Brasileira de Empresas de Utilidades e Presentes (Abup), entidade que representa 327 fabricantes dos segmentos de decoração, presentes, mobiliário, mesa posta e utilidades domésticas.

“Como muitos outros setores da indústria nacional, esses segmentos sofreram no auge da crise, mas, agora, devem voltar com tudo devido à retomada da economia e à grande tendência de organização, que inclui produtos como prateleiras ganha-espaço, gavetex e organizadores de parede”, explica o presidente da Abup, Jamil Rima.

Pesquisando para comprar barato

A professora, Jussara da Silva, conta que está desde o mês de novembro pesquisando para comprar barato. “Nesse tempo de crise em que o país passa não podemos gastar muito. Então para mim, esposo e filho vou gastar R$ 500. Uusarei o cartão e vou parcelar para caber no bolso”, diz.

Outra consumidora que estima quanto vai gastar neste fim de ano, é a enfermeira Claudia Lima, 35. Ela acredita que mil reais será suficiente.

“Vou aproveitar as promoções, os descontos e todas outras formas de poupar, pois tenho que usar este dinheiro para o consumo de três pessoas”, explica.

Já a industriária Carla Nascimento, 28, explica que foi ao Centro de Manaus em busca de achar roupas, jóias e sapatos com preços baixos, mas não encontrou. “Tudo está caro, estou desde novembro pesquisando, mas ainda não encontrei algo bom e barato”, conta.

Blog

José Roberto Tadros, presidente da Federação do Comércio - AM

"O Natal desse ano será melhor, devido a estabilização da economia e a reversão do processo de recessão que se acumulou ao longo desses anos.  A nossa previsão é que terminamos esse ano com uma leve recuperação que se acumulou ao longo desses anos, em torno de 1% de perdas. Nós já saímos da recessão, porque começamos recuperar mais ou menos os preços. A economia começa a andar e o desemprego além de não aumentar, começa a reduzir de forma lenta e gradual. E na medida em que você começa a conjugação desses dois fatores: a paralisação da queda do emprego e o redutor da taxa de desemprego, então teremos um Natal melhor do que o do ano passado. Infelizmente, depois que começaram a endeusar o Lula, ele acabou levando o País nessa rota que estamos saindo. E entendo que não se pode viver mais em aventuras, em propostas mirabolantes de candidatos."

Publicidade
Publicidade