Publicidade
Manaus
Manaus

Mãe contesta versão da morte do filho dentro de uma sala do 1º DIP em Manaus

No IML, a causa da morte do adolescente de 15 anos foi apontada como overdose. Porém, a mãe do jovem afirmou que o filho morreu devido a ripadas na nuca dadas por um policial   14/01/2015 às 13:12
Show 1
1º DIP fica na avenida Duque de Caxias, Praça 14
Fábio Oliveira Manaus (AM)

O estudante Matheus Camelo de Souza, 15, foi morto dentro de uma sala do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Centro-Sul, na noite de terça-feira (13). No Instituto Médico Legal (IML), a causa da morte foi apontada como overdose.

Porém, a mãe do jovem, a operadora de caixa Marilene Mendonça, 34, afirmou que o filho morreu devido a umas ripadas na nuca dele.

Segundo ela, Matheus e o irmão Ítalo dos Santos, 19, usavam drogas na frente da irmã, uma menina de cinco anos. "Eles usavam droga na frente dela e, depois de discutirmos, chamei a Polícia Militar", disse.

Após a discussão, policiais militares da 7ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram até a residência do jovem, localizada na Vila Barroso, rua Magalhães Barata, bairro Betânia, Zona Sul, e levaram Matheus e o irmão até o 1º DIP.

Na delegacia, mãe afirmou que Matheus estava bastante alterado e dizia que iria matá-la. Em seguida, um policial civil se dirigiu até os dois e agrediu dando três tapas no rosto dele e mandando eles entrarem em uma sala.

Conforme o irmão Ítalo dos Santos, 19, o policial mandou os dois ficaram apenas de cueca e, em seguida, pegou uma ripa de madeira e desferiu,em cada um, duas ripadas. Matheus foi atingido por duas na nuca e caiu se debatendo no chão.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil nega a agressão e afirma que o jovem morreu de overdose ao chegar na delegacia.

Publicidade
Publicidade