Publicidade
Manaus
CASO DE FAMÍLIA

Mãe de menino que foi esquecido por pai diz que passou pelas piores horas de sua vida

Criança de quatro anos foi encontrada vagando sozinha durante a madrugada pelas ruas do bairro Manoa 08/09/2017 às 21:09 - Atualizado em 08/09/2017 às 21:19
Show capturar
O garoto foi encontrado no bairro Manoa na manhã de hoje (Foto: Divulgação)
Tiago Melo Manaus (AM)

Depois de ter sido abandonado dentro de um carro no estacionamento de um bar enquanto o pai bebia, na noite de ontem, Pietro Portela, de 4 anos, voltou à segurança do lar na manhã desta sexta-feira (8), após vagar sozinho durante a madrugada pelas ruas do bairro Manoa, na Zona Norte de Manaus, e ser resgatado por um homem desconhecido.

Para a mãe da criança, Kátia Simone Silva, de 31 anos, que soube do desaparecimento do filho por volta de 1h, quando foi comunicada pessoalmente pelo ex-marido, e só o teve de volta às 11h, as dez horas duraram uma eternidade. "Ele foi encontrado chorando sozinho, descalço no meio da rua, por um homem desconhecido que por acaso o levou para a dona do bar em que o pai dele estava. Isso foi por volta de 3h da manhã", comentou ela.

Sozinho na rua por cerca de duas horas, Pietro esteve exposto a todos os tipos de perigos durante a madrugada. Kátia considera um milagre o menino ter sido achado vivo e bem. "Teve momentos em que não tinha certeza em quais condições ele seria encontrado, ou se sequer seria encontrado. Mil coisas ruins passaram pela minha cabeça nessas dez horas em que estive longe dele. Foram as piores horas da minha vida. Uma sensação terrível que não desejo a ninguém", disse ela.

De acordo com a dona de casa, nesse intervalo de tempo as buscas foram incessantes e intensas e ela contou com a ajuda de amigos, vizinhos e familiares, contudo o que deu o melhor resultado foram as redes sociais, no caso específico, o Facebook.

"Assim que meu ex-marido veio me contar do ocorrido, que tinha perdido o Pietro porque estava bêbado demais, fizemos o possível: colocamos nas redes sociais, fomos nos bares da região, fomos na delegacia especializada, fizemos um BO, procuramos na rua, mas nada disso deu resultado. Até que hoje de manhã um homem, que viu o post no Facebook, ligou avisando que tinha encontrado meu filho e que ele estava bem", explicou Kátia.

Aliviada com a notícia, Kátia foi de encontro ao filho, que estava na casa de uma senhora, dona do bar em que o pai de Pietro estava. Segundo ela, o exemplo dado tanto pelo homem que encontrou a criança, quanto pela mulher que o acolheu, a fizeram acreditar que ainda existem pessoas boas no mundo.

"Não os conheço e nunca os vi na vida, mas mesmo assim eles foram uns anjos com o meu filho. Quando o fui buscar, ele já estava calmo de novo, lanchando e vendo desenho. Ao me ver, ele saiu correndo e chorando para me abraçar", afirmou emocionada.

Kátia lembra que no momento em que recebeu a notícia, a situação lhe pareceu tão absurda que ela não acreditou no ex-marido e achou que tudo não passava de uma brincadeira dele. "Nunca tivemos esse tipo de problema, mas achei de uma responsabilidade tão grande da parte dele que, para que isso não se repita, irei pedir a guarda do meu filho só para mim", disse.

Conforme o relato de Kátia, o pai da criança não esboçou qualquer sentimento em nenhum momento. "Ele não quer saber do filho, só de mim. Quando veio falar que o menino tinha desaparecido e quando soube que ele foi encontrado, a reação dele foi a mesma: nula", concluiu.

Publicidade
Publicidade