Publicidade
Manaus
LIVRO

Maior aliado dos estudantes, livro didático é celebrado como item a ser conservado

Fonte de conhecimentos diversos, os livros nem sempre recebem os cuidados adequados dos alunos que os usam diariamente 26/02/2017 às 05:00
Show 7779999
Foto: Euzivaldo Queiroz
Alik Menezes Manaus (AM)

Fonte de conhecimentos diversos, os livros didáticos nem sempre receberam os cuidados adequados por parte dos estudantes que usam as obras diariamente, hábito que compromete não só o aprendizado desse aluno, mas de outros que virão a usar o mesmo material nos anos seguintes ou, até mesmo, o orçamento familiar.

Mas essa realidade vem mudando em Manaus, seja pela conscientização de pais, alunos e professores, seja pela adoção de medidas que promovem o cuidado com os livros, como conta a professora aposentada Marinalva Santos Souza, 69. “Antes os alunos não tinham todo esse cuidado e muitos eram prejudicados pelo descuido de outros”.

Em algumas escolas, como o 3° Colégio Militar da Polícia Militar Professor Waldocke Fricke de Lyra, localizado no bairro Parque São Pedro, Zona Oeste, os alunos são incentivados a serem mais zelosos com os livros didáticos, caso contrário eles têm que comprar um novo e correm o risco até de não terem a renovação de matrícula.

Aprovada

A medida tem se mostrado eficiente e é até elogiada pelos alunos. A estudante do 7° ano do ensino fundamental Lucimar Nogueira, 12, diz que passou a se policiar mais com o cuidado que dispensa aos livros. Tenho me policiado mais a ter cuidado com os livros que uso na escola, que preciso devolver no fim do ano letivo, mas tenho percebido que estou sendo mais cuidadosa com todos os outros que tenho também”, disse a estudante, que estuda há dois anos na escola. Lucimar disse que inicialmente foi um susto a “imposição” porque na antiga escola não havia essa exigência, mas com o passar dos dias, percebeu o real sentido da medida. “Na minha antiga escola a gente recebia livros usados e eles nunca estavam em bom estado. Os colegas não cuidavam, isso não acontece aqui, e quem ganha somos nós mesmos”, disse.

Há quatro anos estudando na mesma escola, o aluno do 8° do ensino fundamental Guilherme Samuel Nascimento Oliveira, 13, disse que tem mais cuidado com os livros pensando nos colegas que os usarão no próximo ano. Ele conta que, em outras escolas onde não há esse cuidado, ele já recebeu livros em mau estado. “Na outra escola aconteceu de eu pegar o livro riscado, com resumos nas bordas, e era complicado para conseguir estudar, me prejudicou”, disse.

Aos 11 anos, o estudante Marcos Rogério Silva, do 7° ano do ensino fundamental, já tem consciência sobre a importância de cuidar bem dos livros e pensar na coletividade. “Temos que cuidar como se fosse nosso, mesmo não sendo, porque esse material também vai servir para levar conhecimento para outros colegas”, disse.

Descuido é prejuízo

A falta de cuidados com os livros didáticos não acumula prejuízos apenas para os estudantes da rede pública. Na rede particular, o descuido resulta em prejuízos, uma vez que muitos pais costumam guardar os livros de um filho mais velho para os mais novos ou, até mesmo, revendê-los.

Publicidade
Publicidade