Publicidade
Manaus
Manaus

Maioria dos 113 médicos estrangeiros que desembarcaram em Manaus vai para o interior do AM

Apenas 15 dos profissionais do programa Mais Médicos, do Governo Federal, ficarão na capital para atuarem nas unidades de saúde municipais 29/10/2013 às 08:38
Show 1
Dos 113 profissionais formados em universidades estrangeiras que chegaram a Manaus, 98 vão para o interior do Estado
Carolina Silva ---

Dos 113 profissionais do programa Mais Médicos, do Governo Federal, que chegaram a Manaus no último final de semana, somente 15 ficarão na capital para atuarem nas unidades de saúde municipais. Quatro deles serão deslocados para os Distritos de Saúde Especial Indígena (DSEIs), localizados no Alto e Médio Solimões, e 94 serão distribuídos em 37 municípios do interior do Estado.

Médicos estrangeiros e brasileiros com formação no exterior estão nesse grupo de profissionais que desembarcaram em voos da Força Aérea Brasileira (FAB) durante o último fim de semana. Com a chegada dos 113 profissionais, o Amazonas soma 207 profissionais do programa Mais Médicos.

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) espera que até o final deste ano um total de 400 profissionais deste programa do Governo Federal estejam atuando no Amazonas. E que esse número aumente para 600 até abril de 2014.

Nessa segunda-feira (28), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) ainda definia os futuros postos de trabalho dos 15 médicos que ficarão em Manaus e devem começar a trabalhar nas unidades de saúde na próxima semana.

Nesta terça-feira (29), os 113 profissionais começam a receber uma capacitação organizada pela Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT/HVD) e Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) com foco nas doenças típicas da região amazônica. A capacitação é complementar ao treinamento padrão que é organizado pelo Ministério da Saúde para o programa Mais Médicos.

Os médicos recém-chegados serão capacitados sobre as doenças de maior incidência durante o período de cheia e seca dos rios no Amazonas, e também sobre Hepatites, Febre Amarela, Leptospirose, Doenças Diarreicas Agudas, Febre Tifoide, Leishmaniose e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

Além disso, os profissionais brasileiros e estrangeiros ainda receberão informações sobre o funcionamento do projeto de Telessaúde e do Sistema de Regulação (Sisreg) e dos principais programas de saúde executados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Amazonas.

O projeto Telessaúde, por exemplo, é uma estratégia de baixo custo para ampliar o acesso das populações do interior do Estado a consultas e exames especializados. A ferramenta permite ainda a capacitação de médicos, enfermeiros e outros profissionais, e a discussão online de casos clínicos e conclusão de diagnósticos, e o paciente não precisa se deslocar à capital.

Publicidade
Publicidade