Publicidade
Manaus
HORÁRIO ELEITORAL GRATUITO

Maioria dos candidatos a governador do Amazonas repete conteúdos na rádio e TV

Apenas os candidatos Amazonino Mendes e Omar Aziz produziram conteúdos diferentes para o rádio e para a TV 01/09/2018 às 04:11 - Atualizado em 01/09/2018 às 09:05
Show propaganda 6cc89eb6 480f 4577 a0f0 0fddac0d68cf
Entre os candidatos ao governo, apenas Sidney Cabral (PSTU) não fez uso do horário de que dispõe na TV e no rádio. Foto: Divulgação
Geizyara Brandão Manaus (AM)

Com o período de campanha mais curto nessas eleições, cinco dos sete candidatos ao governo do Amazonas preferiram usar, no horário eleitoral gratuito, o mesmo conteúdo tanto no rádio quanto na TV. Apenas Amazonino Mendes (PDT) e Omar Aziz (PSD) produziram conteúdos específicos para cada mídia no primeiro dia de propaganda eleitoral gratuita.

Amazonino Mendes, que concorre à reeleição, respondeu no rádio a perguntas sobre a motivação para ser governador e se vale a pena votar. Além de destacar as condições em que encontrou o Amazonas ao assumir o cargo no ano passado e os avanços em sua gestão. A propaganda finalizou com questionamentos à vice Rebecca Garcia (PP).

A ordem se inverteu na televisão, iniciando com a candidata e terminando com o atual governador, que explicou o nome da coligação “Eu Voto no Amazonas”. A propaganda propôs ao eleitor o encaminhamento para as redes sociais para acompanhar as ações de campanha.

Pela coligação “Amazonas com Segurança”, o senador Omar Aziz optou, no rádio, por contar a história de um dos jingles usados na campanha, composto pelo poeta Chico da Silva e ressaltou que “cumpre o que diz”, visto que as promessas das eleições em que esteve também candidato ao governo foram cumpridas, de acordo com Aziz. Já na TV, o senador apresentou a primeira proposta focada na segurança: o projeto Ronda Total, uma versão atualizada do Ronda no Bairro.

 Os demais candidatos utilizaram a mesma propaganda tanto no rádio quanto na televisão.

Berg da UGT (PSol) usou os 13 segundos para enfatizar que o tempo de propaganda é curto, mas possui propostas para a mudança. Wilson Lima (PSC) destacou, em 25 segundos, que a candidatura não é um projeto pessoal e quer “varrer a corrupção”.

David Almeida (PSB) lembrou os feitos de quando foi governador interino, como a liberação de abono para os professores e a promoção de policiais, assim salientou que quer voltar ao cargo. Lúcia Antony (PCdoB) focou em se apresentar e exaltar a figura do ex-presidente Lula.

O candidato do PSTU, Sidney Cabral, não usou o tempo de 7 segundos que dispõe. Segundo a assessoria de comunicação da sigla, ainda estão “finalizando as edições”.

Prazo

O último dia para a divulgação da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão acontece três dias antes da realização do primeiro turno das eleições deste ano, no dia 04 de outubro. Em caso de segundo turno, as propagandas são retomadas no dia 12 de outubro até o dia 26.

Chapa sem propaganda de senador

Os candidatos ao Senado também apresentaram suas propostas ontem no rádio e na TV. A coligação “Renova Amazonas” encabeçada pelo deputado estadual David Almeida (PSB), deixou o espaço para senador vazio, já que o vereador Chico Preto (PMN) ascendeu ao posto de candidato a vice-governador.

Com apenas 09 segundos, a propaganda do PSOL apresentou somente o nome e número na urna dos candidatos Luiz Fernando Santos e Rondinely Fonseca.

Candidato à reeleição Eduardo Braga (MDB) relembrou na TV debates que travou  no Senado. Já no rádio, Braga agradeceu a receptividade na capital e no interior do Estado, e reforçou sua trajetória no Senado.

 A senadora e também candidata à reeleição Vanessa Grazziotin (PCdoB) apostou no jingle no jingle de campanha e destacou o posicionamento acerca das votações e atuação no Congresso.

O vereador Plínio Valério (PSDB) que também pleiteia o cargo de senador usou a propaganda para salientar que veio do interior do Estado e quer ser o “grito amazônida” em Brasília.

Alfredo Nascimento (PR) trouxe parte do jingle que ficou conhecido na campanha para a Prefeitura de Manaus e traçou um perfil com os cargos que ocupou ao longo da vida pública. Na segunda cadeira da coligação, Hissa Abrahão (PDT) afirmou que o Amazonas precisa de voz no Senado “para voltar a sorrir”.

“Único candidato que abriu mão de todos os privilégios” reafirmou o candidato pela coligação “Transformação Por Um Novo Amazonas”, Luiz Castro (Rede) em 11 segundos que tem direito na distribuição de tempo.

Publicidade
Publicidade