Segunda-feira, 24 de Junho de 2019
Manaus

Maioria dos conselheiros no TCE ignora lentidão da ALE-AM

Cinco membros do TCE trataram com indiferença atraso na votação do projeto que acelera julgamentos



1.jpg Conselheiro Júlio Cabral afirma que demora na votação do projeto foi motivada pela pressão feita pelos prefeitos
14/09/2012 às 07:48

A morosidade da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) na tramitação do projeto de lei que acelera o julgamento de contas de gestores públicos é ignorada pela maioria dos membros do Tribunal de Contas do Estado (TCE).  Nessa quinta-feira (13), A CRÍTICA ouviu cinco conselheiros, um auditor e o procurador-geral do órgão sobre o assunto. Apenas dois deles cobraram mais celeridade na votação da proposta. Os demais trataram o caso com indiferença.

Segundo o conselheiro Júlio Cabral, a única razão para tanta demora é a pressão política exercida pelos principais alvos do projeto de lei, os prefeitos.  “É por isso que eu digo que a justificativa da Assembleia não botar em pauta é porque é ano político. Então, como o parlamentar infelizmente é ligado a prefeitos, não prejudicar os prefeitos esse ano, para eles, é ótimo”, disparou Júlio Cabral.

(A íntegra deste conteúdo esta disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.