Publicidade
Manaus
DPVAT

Mais de 2,8 mil pessoas foram indenizadas por acidentes de trânsito este ano no AM

Maior parte dos pagamentos do DPVAT é feita para vítimas de acidentes de motocicletas, que não param de crescer em todo o Brasil 30/09/2018 às 08:15
Show acidente moto 6b13e03e 7a60 464f a2e7 0da3944720cb
Número de vítimas de acidentes de motos já passa de 7,4 mil neste ano; destes, 2,4 mil já receberam indenização (Foto: Arquivo AC)
Izabel Guedes Manaus (AM)

Entre janeiro e agosto desse ano, mais de 2,8 mil pessoas foram indenizadas por acidentes de trânsito no Amazonas. O número já é maior que o mesmo período do ano anterior, quando 2.703 pessoas receberam o benefício. Segundo os dados do seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) a alta está relacionada aos casos de invalidez, morte e despesas médicas (DAMS), em grande parte, vítimas de acidentes com motocicleta.

Os casos envolvendo motos são maioria, não só no Estado, mas em todo o País. No geral a maior incidência de indenizações pagas está associada aos casos de invalidez, sendo que boa parte das vítimas são do sexo masculino, com idades entre 18 a 34 anos. No Amazonas foram pagas 2.419 indenizações por acidentes envolvendo motos  em 2018 e 2.254  no mesmo período em  2017. O número representa um crescimento de 7,32% de um ano para o outro.

O auxiliar de vendas Dennis Pereira, 20 anos, entrou nessas estatísticas após se envolver em um acidente no mês passado, no bairro Jorge Teixeira. Ele ficou com algumas sequelas e hoje aguarda para fazer um procedimento cirúrgico e, assim, dar entrada no seguro. “Eu estava indo para a casa de uma amiga buscar o telefone dela, aí um senhor atravessou na minha frente, fora da faixa, e acabei colidindo com ele. Eu tive varias fraturas no rosto e quebrei alguns dentes. Vou operar em breve e somente depois vou dar entrada no seguro”, contou.

No geral, segundo a pesquisa da seguradora, a imprudência está relacionada em muitos casos dos acidentes. Tanto com motos, carros ou pedestres.

Múltiplos fatores

Para o especialista em trânsito Haniery Mendonça, os acidentes com motos estão mais vulneráveis devido a uma série de fatores, tanto sociais como legislativos. Por isso, ele acredita ser necessária uma atenção maior nesse sentido. 

“O Código de Trânsito não estabelece uma rega especifica proibindo que as motocicletas transitem entre os carros e aí os motociclistas esquecem a questão da segurança. A outra coisa que influencia é que no processo de formação nas autoescolas é fraco. É ensinando o básico e principalmente a questão do carro. Pouco se fala de motos, aí quando vai para a prática os instrutores não têm muito o que fazer a não ser ensinar o que fala a legislação”, afirma.

“Com isso e com a formação precária do jeito que é e mais o fato de que muitas pessoa acham que se pode pilotar de qualquer jeito, temos esses altos índices. Aí , soma-se a isso a falta de uma fiscalização correta; automaticamente a quantidade de acidentes aumenta. Sem contar que algumas pessoas nem habilitadas são, o que complica mais ainda a vida no trânsito”, completa Haniery Mendonça. 

Dados nacionais

Em todo o Brasil foram pagas mais de 26 mil indenizações a familiares de vítimas fatais de acidentes de trânsito. Os casos de morte registraram redução de 6% em relação ao mesmo período de 2017 e sua participação foi menor na quantidade de indenizações em relação às demais coberturas (12%).

Motocicletas em 80,7% dos casos

De janeiro a agosto deste ano, 9.249 pessoas foram vítimas de acidentes de trânsito em Manaus. Desse total, 7.473 (80,7%) foram de acidentes de moto e 1.776 (19,2%) de carro, isso em relação a atendimentos nos prontos-socorros e Serviços de Pronto Atendimento (SPAs).

Publicidade
Publicidade