Publicidade
Manaus
Manaus

Mais de 200 ciclistas participam de ato simbólico após morte no AM (VER)

Os ‘pedalistas’ saíram do Parque dos Bilhares, no bairro da Chapada, e seguiram pelas avenidas Constantino Nery e Brasil no bairro Compensa, passando pela estrada da Estanave até a ponte rio Negro, onde realizaram o ato simbólico 16/07/2013 às 22:31
Show 1
O movimento do Pedala Manaus que nasceu em 2010 ganhou força por meio das mídias sociais
Bruna Souza Manaus, AM

Aproximadamente 200 ciclistas participaram de mais um passeio do movimento Pedala Manaus na noite desta terça-feira (26), em protesto pela falta de educação no trânsito e em memória ao trabalhador Milton Alves de Oliveira, 46, que morreu na última segunda-feira (15), após ter a cabeça esmagada por uma carreta no KM 1 da rodovia AM-070 que liga Manaus ao município de Iranduba. Na ponte rio Negro, os ciclista em um ato simbólico portaram cartazes, faixas e apitos, pedindo melhorias na estruturação das vias públicas, respeito por parte dos motoristas e a implantação de ciclovias.

Na concentração, precisamente às 20h no Parque dos Bilhares, os participantes fizeram um minuto de silêncio em homenagem ao terceiro ciclista morto no trânsito. Milton trafegava em uma bicicleta pela rodovia, nas proximidades da ponte rio Negro, quando foi atingido por uma motocicleta. Uma carreta que passava pelo local na hora do acidente não conseguiu desviar e passou por cima do trabalhador.

Os ‘pedalistas’ saíram do Parque dos Bilhares, no bairro da Chapada, e seguiram pelas avenidas Constantino Nery e Brasil no bairro Compensa, passando pela estrada da Estanave até a ponte rio Negro, onde realizaram o ato simbólico.

De acordo com uma das coordenadoras do movimento, Nádia Aguiar, todas as terças e quintas-feiras o grupo se reúne no centro de lazer e seguem para destinos diferenciados. Segundo ela, o ponto de parada para reivindicação do movimento do Pedala Manaus desta ontem foi escolhido após a morte do ciclista.

"Várias mortes de ciclistas foram registradas cidade por imprudência de motoristas que não respeitam os ciclistas no trânsito. É importante que a população tome consciência que a bicicleta também é um veículo e o ciclista merece respeito. Viemos até a ponte com os cartazes para reivindicar mais segurança, estrutura das ruas para receber os ciclistas e principalmente a educação aos ciclistas", declarou.

Pedala Manaus

O movimento que nasceu em 2010 ganhou força por meio das mídias sociais, entre eles a página na web pedalamanaus.org.br e pela fanpage no Facebook, onde qualquer pessoa que busque saúde e qualidade de vida pode participar do ‘Pedala Manaus’.

O mais experiente do grupo, o eletricista industrial José Vitor, de 62 anos, ressaltou o trabalho realizado pelo grupo, de forma pacífica e declarou que após entrar no movimento ganhou mais vitalidade e melhorou o ciclo de amizade.

“Praticar esporte é importantíssimo independente da idade. Já ando de bicicleta há mais de 30 anos e estou no Pedala Manaus há três meses. Hoje faço parte dessa família e luto pelas melhorias para os ciclistas. tenho uma saúde de ferro, tenho lazer e ainda fiz grandes amigos”, finalizou.

Ciclovias

A Política Nacional de Mobilidade Urbana criada por meio da Lei Federal 12.587 do dia 3 de janeiro de 2012, prioriza os meios de transporte não motorizados, entre eles, a bicicleta e o serviço público coletivo. O que significa que todas as obras viárias realizadas pelo Estado ou prefeituras devem contemplar o espaço para bicicletas, conhecidas como ciclovias. A lei determina que as prefeituras das cidades com mais de 20 mil habitantes elaborem um plano de mobilidade urbana, vinculados com o plano diretor até janeiro de 2015. Os governos que não cumprirem com as determinações podem perder os recursos federais para o setor.

Publicidade
Publicidade