Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Manaus

Mais de 237 camelôs do Centro de Manaus serão realocados

Estimativa da prefeitura é retirar esse novo grupo das ruas e levá-lo para a Galeria dos Remédios no dia 28 de fevereiro



1.gif Os camelôs que estão nas ruas Marquês de Santa Cruz, Barés, Rocha dos Santos, Floriano Peixoto e praça Adalberto Vale serão transferidos para a Galeria dos Remédios
05/02/2015 às 10:04

Mais um grupo de camelôs já tem previsão para sair das ruas do Centro de Manaus. No próximo dia 28 de fevereiro, 237 vendedores serão realocados para uma área provisória enquanto esperam a inauguração da segunda fase da Galeria dos Remédios, no Centro, Zona Sul, ou do Shopping T4, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste. A expectativa por melhores condições de trabalho divide espaço com o medo na queda das vendas e a demora pela acomodação no espaço definitivo.

As mudanças serão para os que atuam nas ruas Marquês de Santa Cruz, Barés, Rocha dos Santos, praça Adalberto Vale e avenida Floriano Peixoto. O espaço provisório será na avenida Marquês de Santa Cruz, próximo à Galeria dos Remédios.

Há 14 anos trabalhando como vendedora autônoma, Maria de Jesus Brito, 42, considera a oportunidade uma nova chance de melhorar o negócio. “É um lugar melhor, com certeza. Vou ter meu espaço e sem preocupação se vai chover e vai molhar minha mercadoria”, disse.

Quem também participa da mudança no fim do mês é Ednalva Pereira, 41, que vende redes com o marido em frente ao Porto de Manaus. Ela também deseja melhorias no quesito ambiente de trabalho, mas confessa temer a queda das vendas. “Aqui eu tenho uma mercadoria direcionada a quem viaja. Tudo o que vendo é mais específico. Tenho clientes fiéis. Para não ficar sem trabalhar, vou ter que mudar tudo o que vendo”, desabafou.

Para ela, os camelôs que atuam nessa área serão os que mais enfrentarão dificuldade. “Eu já sei que minhas vendas vão cair e que vou ter que arranjar outras atividades, mas estou indo porque não tenho opção e as condições são melhores”, diz o camelô Raimundo Barreto, 60, que trabalha no comércio há 15 anos.

Destino

A maioria terá como destino definitivo a Galeria dos Remédios, que está sendo construída no mesmo ponto e, segundo a Secretaria Municipal do Centro (Semc), tem previsão de entrega entre maio e junho.

Além de terem um ponto provisório, os vendedores poderão contar com a bolsa-auxílio da Prefeitura de Manaus, no valor de R$ 1 mil por mês, e terão os cursos de qualificação e as vantagens de poder formalizar o próprio negócio.

Ansiedade com medo de prejuízo

O medo de prejuízo alegado pelos camelôs tem como “pano de fundo” a transferência de outro grupo de camelôs, que há um ano espera pela inauguração do Shopping T4 realocado no Camelódromo da Floriano Peixoto.

Desde então, segundo os ocupantes, as vendas pioraram. O problema, segundo eles, é a localização, que não é atrativa para os clientes, e a concorrência das outras lojas vizinhas.

A opção de ir para a galeria, no entanto, partiu dos próprios camelôs, conta o administrador do ponto, Clóvis Lima. Nos foi dada a opção e decidimos que iríamos ficar aqui”, lembra.

O vendedor Robert Modesto, 33, disse que a aflição se dá porque já se passou um ano e eles ainda não sabem quando voltarão a ter um ponto que atraia a clientela. “Passamos um ano vendendo pouco, sem saber o que é Natal e datas comemorativas”, disse.

Para Marcilândia Pantoja, 40, a espera só não tem sido pior por conta do programa bolsa-auxílio. “Pelo menos tem uma renda fixa”, disse.

A assessoria de imprensa da Semc informou que as obras do Shopping T4, na Zona Leste, estão em andamento e que a previsão de entrega é para o mês de setembro ou, no mais tardar, outubro.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.