Publicidade
Manaus
Manaus

Mais de 80 celulares e quase 90 armas são encontrados em vistoria na UPP, em Manaus

A vistoria foi realizada durante a manhã desta terça-feira e teve o apoio do Comando de Policiamento Especializado (CPE) e do Batalhão de Choque da Polícia Militar. Além dos "estoques", drogas e eletrônicos também foram confiscados 15/09/2015 às 17:38
Show 1
Mais de 80 celulares e objetos cortantes foram encontrados na vistoria
acritica.com Manaus (AM)

Na manhã desta terça-feira (15), uma revista de rotina foi realizada na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), Zona Leste de Manaus. A ação iniciou por volta das 6h e contou com reforço de agentes da Coordenadoria do Sistema Prisional (Cosipe), policias do Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) e do canil.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que, no local, foram encontrados 86 celulares, e 82 peças de estoque, além de seis tesouras e duas facas.

Durante a revista, os agentes também retiraram dos corredores os bebedouros para uma vistoria dentro das peças, que poderiam ter sido utilizadas para esconder material ilícito. Os bebedouros, no entanto, são autorizados no local, para garantir que os internos possam ter acesso pelo menos a água fria, devido às elevadas temperaturas dentro dos presídios.


Em uma das imagens divulgadas pela Seap, é possível identificar eletrônicos dentro das celas, como um aparelho de DV  ao lado de uma caixa de som. Um videogame Sony Playstation também foi encontrado.

Além de todo o material citado, o interno Elias de Souza Rodrigues foi encontrado com porções de substância entorpecente. Ele assumiu ser dono de 90 trouxinhas de maconha e 300 gramas de pasta base de cocaína, além de R$ 263. Ele foi encaminhado ao Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), onde será autuado em flagrante.


Recentemente, o titular da Seap Louismar Bonates mudou a equipe de direção da UPP e encerrou o ciclo de mudanças com procedimento de revista que há quase um ano não era realizado no local. A Seap também vai abrir uma sindicância para apurar a facilitação de material proibido no presídio.  

*Com informações da assessoria de imprensa


Publicidade
Publicidade