Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
MONITORAMENTO PREVENTIVO

Susam visita duas vezes por dia moradores de Manaus que viajaram com 'paciente zero'

Visitas servem para verificar o surgimento de possíveis sintomas. As duas pessoas fazem parte da mesma família e estiveram no voo em que o “paciente zero” confirmado com o Covid-19 esteve



Aeroporto-de-Manaus-Eduardo-Gomes-by-Infraero__1__67AA5C1E-EA76-47E9-BD38-24DC29526770.jpg Foto: Infraero
27/02/2020 às 20:12

Os dois moradores de Manaus que estiveram no mesmo voo que o primeiro paciente brasileiro confirmado com o coronavírus (Covid-19) estão sendo monitorados de perto pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam). Apesar de o caso deles não ser considerado como suspeito – já que não apresentam sintomas da doença -, os dois recebem duas vezes ao dia uma visita de monitoramento da Vigilância Epidemiológica da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

A informação foi confirmada durante entrevista coletiva realizada na tarde desta quinta-feira (27), após reunião do Comitê Interinstitucional Ampliado de Gestão de Emergência em Saúde Pública para Resposta Rápida aos Vírus Respiratórios, na sede da (FVS-AM).



Todos os passageiros que estavam no mesmo voo procedente da Itália também estão sendo monitorados pelas autoridades de saúde de suas cidades. Como, até agora, os amazonenses não estão doentes nem apresentaram nenhum sintoma, eles não são considerados "casos suspeitos". Assim sendo, o Amazonas segue oficialmente sem nenhum caso confirmado de coronavírus.

Monitoramento

Conforme o secretário de Saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias, o monitoramento dos dois manauaras seguirá as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde (MS), com duração de 14 a 20 dias. O objetivo é identificar o surgimento de possíveis sintomas relacionados com a doença.

Nesse período de monitoramento, 24 horas por dia, as duas pessoas terão uma espécie de "linha direta" com uma equipe médica com quem poderão entrar em contato para relatar algum sintoma, para, se houver necessidade, serem encaminhados ao centro de referência, no caso, o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, na zona Norte de Manaus, que é a unidade de saúde considerada apta para receber pacientes com sintomas compatíveis com o COVID-19.

“Nós estamos acompanhando a situação de saúde deles, se eles desenvolvem algum tipo de sintoma e, na eventualidade de desenvolverem os sintomas, essas pessoas vão ter coletadas amostras laboratoriais que vão ser examinadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública, o Lacen da FVS, para o descarte dos outros vírus respiratórios”, informou a diretora da FVS, Rosemary Costa Pinto.

Ainda conforme a diretora, caso os possíveis sintomas permaneçam, as amostras coletadas serão encaminhadas para o laboratório do Instituto Evandro Chagas, onde serão feitas análises específicas para o novo coronavírus.

É considerado caso suspeito quando a pessoa apresenta febre associada a outro sintoma respiratório, que pode ser tosse ou dor de garganta, além de ter estado em área de transmissão ativa do vírus na Europa ou na Ásia ou tenha tido contato com alguém que esteve nessas regiões. São países com casos registrados de Covid-19: China, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Singapura, Tailândia, Austrália, Itália, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes Unidos.

Unidade de referência no AM

No caso do surgimento de pacientes com suspeita do novo coronavírus em Manaus, o Comitê definiu o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, na Zona Norte da cidade, como a unidade de referência do Amazonas. Os casos clínicos identificados serão encaminhados e tratados na unidade hospitalar. As demais unidades da rede estão preparadas para atender as outras síndromes gripais, como Influenza.

Conforme a Susam, notas técnicas com recomendações têm sido encaminhadas para todas as unidades da rede pública e privada da capital e do interior. Profissionais que atuam nas principais portas de entrada da rede de urgência e emergência – prontos-socorros, Serviço de Pronto Atendimento (SPA) e Unidades de Pronto Atendimentos (UPA) – também foram treinados para atendimento de casos suspeitos de Covid-19, seja através de simulados ou capacitações em serviços.

Na noite desta quinta-feira (27), também será realizado na Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado treinamento para os profissionais de saúde voltado para manejo clínico de possíveis casos de Covid-19. Na próxima semana, haverá um novo treinamento por videoconferência para os profissionais do interior.

Reforço no aeroporto

Com a confirmação do novo coronavírus no Brasil, o controle no Aeroporto Internacional de Manaus também foi reforçado, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Nós temos no aeroporto um plantão da Anvisa de dois profissionais, em plantões de 24 horas. Então esses profissionais estão acompanhando a chegada principalmente dos voos internacionais e, sendo detectado algum paciente sintomático, é acionado todo o fluxo de atendimento e referência desse paciente e esse paciente vai passar por uma avaliação médicas”, explicou Rosemary.

Cuidados no dia a dia

A transmissão do coronavírus, como a de qualquer síndrome gripal, costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. Segundo a infectologista do Hospital Delphina Aziz, Mayla Borba, alguns cuidados básicos de higiene ajudam na prevenção.

A transmissão do coronavírus, como a de qualquer síndrome gripal, costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. Segundo a infectologista do Hospital Delphina Aziz, Mayla Borba, alguns cuidados básicos de higiene ajudam na prevenção.

“Para o dia a dia, para os pais, famílias, é toda vez que tossir, fazer a cobertura, usar o cotovelo ou o dorso das mãos, sempre que possível um lencinho e, depois disso, fazer a higienização com o álcool em gel, nessa técnica correta. Essas são as recomendações que a gente deve fazer todos os dias, independentemente se está tendo algum surto de alguma doença viral ou não. Essa é uma forma de a gente conseguir se proteger para vírus e bactérias, não só do Influenza, não só de coronavírus, mas de diarreia e de outras causas. Então a recomendação é sempre a mesma: lavagem adequada das mãos e a etiqueta da tosse”, disse.

*Colaborou Luiz G. Melo.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.