Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
Compras

Manauaras devem gastar R$ 165 com o presente de Natal, diz Fecomércio

O levantamento revela a permanência de itens como vestuário e calçados (27%) como preferência na compra, seguidos pelos smartphones  (3,3%)



celular_9B9304D4-1E38-41E9-9169-5580C81D1C72.JPG Foto: Divulgação
19/11/2019 às 08:37

Para preparar o varejo no Amazonas para os festejos natalinos a Federação do Comércio no Amazonas (Fecomércio/AM) divulgou ontem (18) a pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais (Ifpeam) sobre a intenção de compra e confiança do consumidor.

A perspectiva para esse Natal é que o amazonense tenha um gasto médio de R$ 165, um número que para o assessor econômico da Fecomércio, José Fernando, indica uma melhora na confiança do consumidor em relação à economia local, quando 34,7% dos entrevistados acreditam que nos próximos seis meses a economia estará um pouco ou muito melhor.  
“No ano passado, no mesmo período, o gasto médio dos consumidores era em torno de R$ 148. Então, houve um leve crescimento. Isso quer dizer que o consumidor está otimista em relação ao crescimento da nossa economia”, aponta o economista. 

O levantamento revela a permanência de itens como vestuário e calçados (27%) como preferência na compra, seguidos pelos smartphones  (3,3%). Os consumidores questionados dizem  comprarão menos com o cartão de crédito (27,2%) e mais com débito e em dinheiro (72,8%). 

Bairros

Outro dado é a opção pelo comércio dos bairros (66,2%),  que para José é um reflexo da difusão do varejo para zonas distantes da área central da cidade. Essas localidades se diversificaram também com opções de shoppings e a Federação estima que 18,5%  população buscará estes estabelecimentos.  “Já existem vários shoppings nestes bairros da Zona Norte e Leste e o consumidor dá preferência a eles devido a proximidade da sua casa”, conta José.
  
Por outro lado calcula-se que os consumidores que irão ao centro urbano de Manaus para suas compras serão cerca de 18,5%. A segurança também foi um fator questionado aos entrevistados e 39,8% deles já sofreram assaltos mas somente 3,1% registrou o ocorrido.

A maior preocupação dos participantes da pesquisa é o emprego, mais da metade disse que não espera melhora na renda familiar para o primeiro semestre de 2020 e 83,8% diz estar pouco confiante em conseguir uma nova ocupação se comparado ao ano passado. 

O comércio brasileiro tem expectativa crescer 4,6% (varejo ampliado), segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Já para o Amazonas a crescimento deve ficar em torno de 3,5%.



News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.