Publicidade
Manaus
mobilização

Campanha em Manaus alerta para os sinais da doença de Alzheimer

Mal que afeta mais de 45 milhões de pessoas no mundo e 1,2 milhão no Brasil não tem cura, mas diagnóstico precoce pode garantir tratamento a tempo de retardar sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes 18/09/2016 às 17:05 - Atualizado em 18/09/2016 às 17:05
Show bfs
Pessoas com mais de 60 anos são mais suscetíveis à doença. Foto: Evandro Seixas / Arquivo AC
Silane Souza Manaus (AM)

A cada quatro segundos um novo caso de demência é detectado no mundo e a previsão é de que haja uma ocorrência a cada segundo, em 2050, de acordo com estimativa da organização Alzheimer's Disease International (ADI). A Doença de Alzheimer (DA), responde pela metade das causas de demência. Visando conscientizar a população sobre esta doença e alertar para a importância do diagnóstico precoce uma série de ações será realizada a partir desta segunda-feira, em Manaus.

As atividades serão promovidas até sábado pela Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz), que promove em parceria com o Aché o “Mês do Alzheimer” em setembro. O lema escolhido neste ano é “Alzheimer: eu não esqueço”. Conforme a instituição, para cuidar, precisamos reconhecer, enfrentar e aceitar a doença e, para tanto, desmistificá-la, lembrando não apenas que ela existe, mas que as pessoas que convivem com ela precisam de ajuda, apoio e orientação.

Em todo o Brasil, serão em torno de 100 iniciativas em 18 Estados em que a ABRAz atua, com especial destaque para o dia 21, Dia Mundial da Conscientização sobre a Doença de Alzheimer. Em Manaus, a campanha contará com estandes para distribuição de cartilhas sobre a doença em pontos da cidade, oficinas, palestras e a Caminhada da Memória, que acontecerá no dia 24, a partir das 7h30, no Parque do Mindu, bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul.

De acordo com a presidente da ABRAz, Regional Amazonas, Stella Regina Torres, as ações visam, principalmente, informar a sociedade que o Alzheimer existe e qualquer pessoa a partir de 60 anos está propensa a adquirir a doença que, apesar de não ter cura, tem tratamento que melhora significamente a qualidade de vida da pessoa que sofre de Alzheimer e também de seus familiares e cuidador. “É muito difícil lidar com a situação quando não se tem informações”, ressalta.

Por isso, conforme ela, a ABRAz desenvolve essas atividades para leva informações as pessoas para lidarem da melhor forma com a doença e alerta para a busca pelo diagnóstico precoce e o tratamento, além de contar com um grupo multidisciplinar. “Nós promovemos reuniões quinzenalmente, sempre as segundas-feiras, de 17h às 18h, no Parque do Idoso. É um grupo de apoio, acolhimento e encaminhamento, além de troca de experiência sobre como lidar melhor com a situação”.

Número

No mundo, 45 milhões de pessoas são impactadas pela Doença de Alzheimer (DA) no mundo, de acordo com estimativa da organização Alzheimer's Disease International (ADI). Só no Brasil, a doença impacta 1,2 milhão de pessoas.

Caminhada é dia 24

Na “Caminhada da Memória”, que acontecerá no dia 24, a partir das 7h30, no Parque do Mindu, bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul, haverá aferição de pressão e glicemia, além de educador físico e recreação para os participantes. Conforme a presidente da ABRAz, Regional Amazonas, Stella Regina Torres, será um evento para toda a família está presente e entender sobre a doença e como trabalhar para lidar com ela.

Saiba mais

Há quase 900 milhões de pessoas com mais de 60 anos vivendo no mundo inteiro. O aumento da esperança de vida contribui para o rápido aumento desse número e está associado a um aumento da prevalência de doenças crônicas como as demências. Como mencionado em relatório anterior da ADI, há mais de 100 formas de demência, porém a doença de Alzheimer, a demência vascular, a demência frontotemporal e a demência com corpúsculos de Levy são os tipos mais comuns. Pessoas acima de 60 anos de idade estão mais suscetíveis à demência, porém ela pode afetar pessoas mais jovens também. Nos estágios mais tardios, as pessoas com demência ficam impossibilitadas de realizar tarefas cotidianas e necessitam de cada vez mais apoio.

Diagnóstico precoce e tratamento

A Doença de Alzheimer (DA), não tem cura, mas se detectada no início da doença, a progressão da DA pode ser desacelerada e os sintomas da doença podem ser melhor controlados, permitindo que o indivíduo viva com mais qualidade de vida. A vista disso, a importância de conhecer a doença para saber lidar com ela quando um familiar é acometido, como explica a psicóloga do Centro de Atenção ao Idoso (Caimi) André Araújo, Margareth Galvão dos Santos Presa.

“O Alzheimer é uma doença progressiva e irreversível. No primeiro estágio, a pessoa esquece uma coisa ou outra. Nos demais, além do esquecimento, ela também vai deixando de fazer algumas atividades de rotina e a situação se amplia conforme a doença acomete mais áreas do cérebro. Nos últimos estágios, a pessoa deixa de conversar e tem problemas para se alimentar. A questão da memória é mais visível, mas a DA afeta todas as áreas”, conta.

Por conta de tudo isso é que os familiares têm dificuldade para lidar com o Alzheimer e quando não a conhece a situação é ainda mais complicada. “Primeiro é importante fazer o diagnóstico e conhecer a doença porque quando uma pessoa é acometida com ela a família precisa de suporte psicológico e emocional porque não é fácil ver a pessoa que a gente ama esquecendo-se de quem é, dos filhos e de tudo a sua volta. Agora se ela recebe um tratamento adequado a doença não decline tão rapidamente”.

Programação de atividades em Manaus

Dia 19 - Estande de informações com distribuição de Cartilhas sobre Alzheimer e Oficina de Memória: sede da UnATI (avenida Brasil, s/n, Santo Antônio), de 8h30 às 11h30;

Dia 20 - Estande de informações com distribuição de Cartilhas sobre Alzheimer: Centro Estadual de Convivência da Família Pe. Pedro Vignola (rua Gandú, 119, Cidade Nova), Hospital Getúlio Vargas (rua Apurinã, 04, Praça 14), e Escola de Ciências da Saúde/UEA (avenida Carvalho Leal, 1777, Cachoeirinha), de 8h30 às 11h30;

Dia 21 - Palestra sobre Alzheimer (Oficina da Memória – Grupo Supera): Centro Estadual de Convivência da Família e do Idoso – Aparecida (rua Wilker de Matos, s/n), de 9h às 10h30;

Dia 21 - Estande de informações com distribuição de Cartilhas sobre Alzheimer: Hospital Getúlio Vargas (rua Apurinã, 04, Praça 14) e Escola de Ciências da Saúde/UEA (avenida Carvalho Leal, 1777, Cachoeirinha), de 14h às 16h30;

Dia 22 - Estande de informações com distribuição de Cartilhas sobre Alzheimer e Palestra Sobre Alzheimer: Lar São Vicente de Paulo (rua Jerônimo Ribeiro, 14, São Raimundo), de 9h às 10h;

Dia 23 - Estande de informações com distribuição de Cartilhas sobre Alzheimer, venda de livros e CDS: Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (avenida Mário Ypiranga, 3950, Parque 10), de 9h às 11h;

Dia 24 - Caminhada da Memória: Parque do Mindu (rua Perimetral, s/n, Parque 10), de 7h30 às 9h.

Publicidade
Publicidade