Publicidade
Manaus
CIÊNCIA

Manaus também ‘entra na roda’ dos bate-papos sobre ciência em bares e restaurantes

É o Pint of Science, onde pesquisadores de 56 cidades do Brasil vão sair dos laboratórios e levar para o público um pouco do conhecimento produzido nas universidades 06/05/2018 às 16:08 - Atualizado em 06/05/2018 às 16:16
Show pintofscience
A entrada nos eventos é gratuita, não há necessidade de inscrição e paga-se apenas o que for consumido nos estabelecimentos / Foto: Pint of Science Ribeirão Preto
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Entre os dias 14 e 16 deste mês ocorre mais uma edição do Pint of Science, um dos maiores eventos de divulgação científica do mundo. Nele, pesquisadores de 56 cidades do Brasil vão sair de seus laboratórios e levar para bares e restaurantes um pouco do conhecimento produzido nas universidades, em animados bate-papos. 

Manaus não ficou de fora e uma extensa programação foi divulgada. No dia 14, o evento começa em dois locais diferentes. No Imperial Pub serão abordados os temas “Mudança Climática e Peixes da Amazônia”, com o professor doutor Dr. Adalberto Luís Val (Inpa), “Mudança climática sobre a diversidade terrestre”, com a professora doutora. Fernanda Pinto Werneck (Inpa). No mesmo dia, só que no Vila Hub, a abordagem é sobre “Doenças da Tireóide: o que sabemos hoje?”, que será explanado pela professora doutora Deborah Laredo Jazini (Ufam), e “Fisiologia do emagrecimento”, com a professora doutora Markeila Serrão Ribeiro (Ufam).

No dia 15, no Imperial Hub, os pesquisadores vão tratar sobre “Biologia sintética: Modificando seres vivos”, com Giovanna Maklouf e Isaac Guerreiros (Ufam- Igem), “Porque o avião voa? Um explicação aplicada ao aerodesign”, com Leonardo Suzuki (UEA - Urutau Aerodesign) e “A pesquisa e a ciência dos projetos de carros”, com Felipe Abraão (UEA - Baja). Ainda no dia 15, o Vila Hub tem um bate-papo sobre “Alimentos processados, o que têm ali?”, com o professor doutor Pedro Henrique Campelo (Ufam), “Alimentação alternativa com alimentos bons, limpos e justos”, com a professora doutora Dionisia Nagahama (Inpa).

No dia seguinte, 16, é o Imperial Pub e o Porão do Alemão quem recebem o público que participará do bate-papo. No Imperial Pub, serão abordados “Raio X - além da medicina”, com a professora doutora Cláudia Cândida (UEA), “Bioprospecção de Plantas, seus fungos, seus calos ... O que são, o que produzem?”, com a professora doutora Cecilia Nunez (Inpa). E no Porão o bate-papo envolve “Pesquisas e inovações no mercado cervejeiro”, com o professor doutor Patrick Gomes (Ambev) e “Produção de Cerveja Artesanal”, com a professora doutora Miriam Cartonilho (Ifam).

A origem

A ideia para o Pint of Science surgiu depois que dois pesquisadores do Imperial College London, Michael Motskin e Praveen Paul, organizaram um evento chamado Encontro com Pesquisadores, em 2012. Nele, pessoas com Alzheimer, Parkinson, doenças neuromusculares e esclerose múltipla foram convidadas para conhecer os laboratórios dos cientistas e ver de perto o tipo de pesquisa que realizavam.

A experiência foi tão inspiradora que a dupla decidiu propor um evento em que os pesquisadores pudessem sair das universidades e institutos de pesquisa para conversar diretamente com as pessoas e assim, em maio de 2013, surgiu o Pint of Science. De lá para cá, o evento cresceu – em 2018, serão 21 países – e a meta é ampliá-lo cada vez mais. “Quero levar o Pint of Science para todas as cidades do mundo e comunicar a ciência como ela é: divertida, fascinante e inspiradora”, diz Motskin em seu perfil na página internacional do evento.

Entrada gratuita

A entrada é gratuita e não há necessidade de inscrição, paga-se apenas o que for consumido nos estabelecimentos. Segundo os organizadores, não serão emitidos certificados de participação. No total, serão 500 bate-papos por todo o País que começam às 19h30, pelo horário local de cada cidade. A recomendação é chegar cedo, já que não há reserva de lugar.

Publicidade
Publicidade