Lixo

Manaus está à frente de capitais como Rio de Janeiro em reciclagem de resíduos

Informação é do presidente do ILZB, Rodrigo Sabatini, que está em Manaus para a entrega do Prêmio Lixo Zero Brasil

Karol Rocha
19/12/2021 às 19:00.
Atualizado em 22/03/2022 às 14:37

(Foto: Arquivo/AC)

Ter a consciência do próprio lixo produzido é o primeiro passo para mudanças de hábitos no que diz respeito ao descarte de materiais que podem ser muito bem reutilizados. A proposta para a redução da quantidade de lixo é do presidente do Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB), Rodrigo Sabatini, que está em Manaus para a entrega de premiação que leva o nome da instituição marcada para esta sexta-feira (17).

É a primeira vez que o Amazonas sedia a premiação nacional e o motivo da escolha é que a capital vem se destacando na realização de ações voltadas à propagação do tratamento correto de resíduos. Segundo ele, Manaus está à frente de capitais como o Rio de Janeiro quando o assunto é reciclagem.

“Manaus recicla 3% dos seus resíduos e isso coloca a cidade um pouquinho à frente da média nacional que é 2% a 2,5%. A escolha de Manaus como anfitriã se deve pelo trabalho não da cidade, mas do coletivo Lixo Zero, que tem se destacado nos últimos três anos em suas ações. Então, isso se deve muito mais pelo esforço da sociedade civil do que da indústria ou governamental”.

Ao A Crítica, Rodrigo Sabatini faz pequenas comparações do dia-a-dia que podem ser aplicadas às práticas de descarte de matérias que por fim viriam a ser lixo. Uma delas é o processo de lavagem da louça que após lavada é guardada em seus devidos lugares. A mesma coisa serve para o resíduo que, com o hábito, pode ser separado em seu devido lugar e descartado corretamente.

“O lixo é igual uma goteira pingando, você não sabe o quanto de água está desperdiçando até colocar um balde embaixo. Se você não parar para acumular seus resíduos, você não vai saber o quanto de resíduo você produz. Proponha a você mesmo 30 dias sem tirar o lixo de casa”.

Ele propõe que a população junte seus resíduos, faça a higienização deles e depois os separe. Na quarta semana de experimento, o indivíduo terá ideia de quanto produz e com isso, se conscientizará a produzir menos resíduo.

“A primeira semana você deve pensar sobre como organizar todo o lixo, nesse processo, você aprende a higienizar e depois organizar. Na segunda semana, você vai observar o quanto de lixo você produz. Na terceira semana, se você percebe quanto de material utiliza e na quarta você percebe as consequências de tudo isso e começa a mudança de hábitos, a tomada de consciência”.

Problema do 'Saco Preto'

De acordo com ele, a política pública vem se baseando em resolver a questão do 'saco preto', a sacola de lixo utilizada para amontoar resíduos. 

"O Lixo Zero tem outra visão, nós queremos mudar os paradigmas que levaram essa política pública, ao invés de eu solucionar o destino que dou ao saco preto, o Lixo Zero quer evitar que se forme o saco preto", ressalta.

"O nosso papel é que a gente transforme tudo que é orgânico em adubo, tudo que é reciclável em matéria prima, que a gente reduza o máximo de lixo possível". Na prática, a solução para resolução do problema surge a partir de um acordo social, o que evitaria que igarapés fossem poluídos.

"E para que haja um acordo social onde todo mundo se compromete a ser lixo zero, precisa ter um engajamento da população e para que a população se engaje na solução se faz necessário que ela tenha plena consciência do problema, de quantos resíduos vem de residência, de quantos resíduos vem dos comércios, da indústria e o quanto se gasta com tudo isso", finaliza.

Prêmio Lixo Zero Brasil

O Prêmio Lixo Zero Brasil é concedido aos projetos desenvolvidos no país que tenham contribuído para a propagação desse conceito, que envolve o tratamento correto dos resíduos e a proteção ao meio ambiente.

A premiação, uma promoção do ILZB, ocorrerá nesta sexta-feira (17) no Centro Cultural dos Povos da Amazônia (Distrito Industrial I, Avenida Silves, 2222 - Crespo), a partir das 18h (horário Manaus). A cerimônia também será transmitida pelo canal www.youtube.com/institutolixozerobrasil.

Neste ano, o Prêmio Lixo Zero Brasil recebeu 150 inscrições de projetos de todo o país. O prêmio conta com 18 categorias. São elas: Conscientização e Educação; Reciclagem ou Sistema de Reciclagem; Compostagem; Redução e Reuso; Tendências; Ações Comunitárias; Políticas Públicas; Comunicação e Imprensa; Tecnologia; Cidades Lixo Zero; Escolas Lixo Zero; Eventos Lixo Zero; Indústria Lixo Zero; Celebridades e Influenciadores; Beleza e Saúde; Audiovisual; Logística Reversa e Moda Lixo Zero.

O troféu que será concedido aos vencedores leva a assinatura da artista plástica amazonense Rosa dos Anjos. Inspirado na Amazônia, o troféu tem o formato de uma pena de arara, chamando a atenção para os animais em extinção e, também, simbolizando a necessidade de proteção ao meio ambiente, de preservação da fauna e da flora, conforme explica a artista.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por