Publicidade
Manaus
Manaus

Manaus está há sete meses sem radares de fiscalização eletrônica

Adiada duas vezes após, instalação dos equipamentos não tem prazo para ocorrer, de acordo com o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) 19/10/2015 às 20:29
Show 1
Os radares de fiscalização eletrônica de velocidade foram retirados em março
Silane Souza Manaus (AM)

Após prorrogar por, pelo menos, duas vezes o prazo para a instalação dos radares de fiscalização eletrônica nas ruas de Manaus - que estão há sete meses sem essa “vigilância”-, o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) informou, na última segunda-feira (19), que ainda não tem data definida para começar o processo. Conforme o órgão, esta data só será estabelecida após finalizar o contrato com a empresa que venceu a licitação.

De acordo com o Manaustrans, o instituto está na “fase de assinatura de contrato” com a empresa vencedora e, tão logo seja feita a assinatura, a empresa começará a instalar os radares. “Não houve demora, o processo licitatório passa por várias fases, depois da assinatura do contrato, a próxima etapa é a instalação dos equipamentos”, informou o órgão, por meio de nota.

No final do mês de julho, o órgão havia informado que a previsão para instalação dos primeiros equipamentos era a primeira semana de setembro. Mas, no dia 10 de setembro, o diretor do instituto, Paulo Henrique Martins, disse ao A CRÍTICA que os equipamentos seriam instalados até o final do mês. Nesta segunda-feira (19), mais de um mês depois, o Manaustrans informou que não tem uma data definida para tal medida.

Conforme o Manaustrans, ainda não existe um cronograma que aponte os locais onde os equipamentos serão instalados, mas, em setembro, Martins havia adiantado que serão 36 pontos - seis a mais que antes - e que, possivelmente, alguns ficarão nas mesmas áreas em que ficavam anteriormente.

Fim do contrato

Os radares de fiscalização eletrônica foram retirados no dia 18 de março deste ano, depois que o contrato com a empresa Consladel, antiga operadora dos radares, expirou. Depois disso, um impasse com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) atrasou ainda mais o processo de licitatório. Desde então, há exatos sete meses, as vias de Manaus estão sem fiscalização eletrônica.

No entanto, o Manaustrans informou que “tem feito fiscalização na vias de Manaus através de viaturas e motocicletas. Além da fiscalização de rotina e diária, os agentes monitoram as vias com radares portáteis”. O instituto, no entanto, só tem dois radares desse tipo para atender toda a cidade.

O Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) informou que também tem atuado para coibir o excesso de velocidade nas vias da capital. Conforme o diretor presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, o órgão realiza frequentes fiscalizações com radares móveis. “Ainda não verificamos aumento de acidentes relacionado à falta dos radares fixos, isso porque continuamos fazendo fiscalização com os radares móveis”, declarou.

Câmeras

O Manaustrans utiliza as imagens das câmeras de monitoramento para reforço na fiscalização da cidade. Em casos de irregularidades verificada pelas imagens, uma equipe de agentes é encaminhada ao local, mas o órgão ainda não está emitindo multas.

Estudo

Após 50 metros do local onde é instalado o radar eletrônico de fiscalização, o motorista volta a acelerar o veículo novamente, ou seja, mesmo com os radares fixos o limite de velocidade não é totalmente respeitado, apontou uma pesquisa do Detran-AM. 

Publicidade
Publicidade