Publicidade
Manaus
Manaus

Manaus pode ter aumento na incidência de raios até março de 2015, apontam dados do Elati

Campeã em mortes por raios, Manaus está entre as cidades que devem ter incidência maior de descargas até março, alerta Inpe 03/12/2014 às 10:20
Show 1
No Amazonas, a maior incidência deve ficar concentrada na região Centro-Leste do Estado, no entorno de Manaus, e também próximo à fronteira com o Pará
Monica Prestes Manaus (AM)

Manaus é a cidade brasileira com o maior número de mortos por raios, em todo o Brasil: entre os anos de 2000 e 2013, 20 pessoas morreram na capital amazonense, vítimas de descargas atmosféricas. E, a julgar pela previsão do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), para esta temporada de chuvas e raios, que vai de outubro a março, todo cuidado é pouco. De acordo com dados do Elat, haverá aumento na incidência de raios em toda a Região Norte nesse período.

O mesmo deve ocorrer no Sul e no Nordeste. Já as regiões Sudeste e Centro-Oeste deverão receber raios em incidência levemente abaixo da média.  No Amazonas, a maior incidência deve ficar concentrada na região Centro-Leste do Estado, no entorno de Manaus, e também próximo à fronteira com o Pará.

Mortes

O Amazonas está entre os dez Estados brasileiros com o maior número de vítimas fatais em decorrência de raios: foram 80 mortes em 13 anos. O Estado com maior número de mortes é São Paulo, com 269.

 De acordo com o Elat, em todo o Brasil foram 1.672 mortes por raios nesse período. Só este ano, até o meio do mês de novembro, foram 84 mortes no País e a maioria das vítimas eram homens (89%). A faixa etária dos 20 aos 39 anos é a mais sujeita a esse tipo de acidente (43%) que, em 29% dos casos, ocorre na zona rural e, em 18% dos registros, aconteceram dentro de casa. Outras situações comuns são a proximidade de veículo, árvores ou pessoas atingidas enquanto estavam jogando futebol em áreas abertas.

Foi o que aconteceu no Município de Itacoatiara (a 170 quilômetros de Manaus), em setembro do ano passado, quando duas pessoas morreram após serem atingidas por um raio em um campo de futebol, no bairro Mutirão. As vítimas tiveram queimaduras nas mãos e pés, além do couro cabeludo. Uma terceira pessoa foi atingida e teve ferimentos graves.

Incidência

De acordo com o Inpe, a região entre Manaus e Coari (a 450 quilômetros de Manaus) é uma das que mais concentra raios no Brasil.  A região amazônica, segundo o levantamento, deverá ter um aumento na incidência do fenômeno nas próximas décadas.

A alta incidência, segundo o Inpe, é explicada pela geografia: o clima quente e úmido, típico de áreas de floresta tropical, favorece a formação de tempestades e raios e contribui para o índice de mais de 50 milhões de raios que atingem o Brasil anualmente.

Em números

80 pessoas morreram após serem atingidas por raios no Amazonas, entre 2000 e 2013, de acordo com o Inpe.  Manaus é a cidade brasileira com o maior número de mortes. Porto Real, no Rio de Janeiro, tem a maior concentração de raios do País: quase 20 raios por km² por ano. O Rio Grande do Sul é o Estado com a maior incidência e os raios mais destrutivos.

Pontos: dicas para evitar acidentes

Durante tempestades, procure abrigo em ônibus ou veículos fechados; casas ou prédios; abrigos subterrâneos, tais como metrôs ou túneis; grandes construções com estruturas metálicas ou embarcações metálicas fechados.

 Dentro de casa, evite usar o telefone com fio ou o celular ligado à rede elétrica; ficar próximo de tomadas e canos, janelas e portas metálicas; tocar em qualquer equipamento elétrico ligado à rede elétrica.

Na rua, evite segurar objetos metálicos longos; empinar pipas e aeromodelos com fio; andar a cavalo; estacionar próximo à árvores ou da rede elétrica.

Evite pequenas construções não protegidas; veículos sem capota, como tratores, motocicletas ou bicicletas; além de topos de morros, prédios e áreas abertas, como estacionamentos, campo de futebol e praias.

Sorte para o azar

A chance de uma pessoa ser atingida diretamente por um raio é muito baixa, sendo em média menor do que 1 para 1 milhão. Contudo, se a pessoa estiver numa área descampada embaixo de uma tempestade forte, esta chance pode aumentar em até 1 para mil. Entretanto, não é a incidência direta do raio a maior causadora de mortes e ferimentos. Geralmente são os efeitos indiretos e secundários que trazem risco.

Publicidade
Publicidade