Publicidade
Manaus
levantamento

Manaus tem a 15ª maior renda domiciliar média entre as capitais

No Norte do País, Manaus fica em terceiro lugar, atrás apenas de Palmas (TO) e Macapá (AP). Estudo leva em conta dados do IBGE 01/11/2016 às 11:48
Show manaus111
Segundo levantamento, renda média por domicílio em Manaus é de R$ 4.479,61,
acritica.com Manaus (AM)

A renda média por domicílio em Manaus é de R$ 4.479,61, colocando a capital amazonense na 15ª posição entre todas as capitais do País. Os dados fazem parte de um levantamento realizado pela Geofusion, empresa especializada em inteligência geográfica de mercado. No Norte do País, Manaus fica em terceiro lugar, atrás apenas de Palmas (TO) e Macapá (AP).

A Renda Média, calculada em Reais, corresponde ao ano de 2015. O estudo foi baseado nas Projeções Sociodemográficas 2015 da Geofusion, que estimam dados sobre o perfil da população de todo o Brasil. A metodologia leva em conta diversas pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), como o Censo, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) e Estimativas e Contagens da População.

 A cidade com maior renda média domiciliar do País não é uma capital, mas fica perto. Santana de Parnaíba, na região metropolitana de São Paulo, lidera o ranking das 20 cidades brasileiras com maior renda média domiciliar do Brasil, seguida por São Caetano do Sul (SP) e Niterói (RJ). Destes 20 municípios, 14 estão na região Sudeste. Em quarto lugar, ficou Nova Lima (MG) e, em seguida, está Vitória (ES), a primeira capital da lista.

A região Sudeste também se destaca por receber 48,76% da população turística de negócios, tendo 247 cidades com potencial para este tipo de turismo. Outro dado interessante é que das 20 cidades do ranking, nove estão no estado de São Paulo - o mais populoso do Brasil, com aproximadamente 44,4 milhões de habitantes, concentrando 21,7% da população total do País, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estátística (IBGE). A economia de suas representantes neste ranking é baseada principalmente nos setores de comércio e serviços, como é o caso da primeira colocada, Santana de Parnaíba.            

      

A segunda região que mais se destaca entre as cidades com maior renda média é a Sul – com cinco municípios. Um ponto interessante são que Rio Fortuna (SC), em 11° lugar, e Guabiju (RS), na 20ª posição, possuem menos de 5 mil habitantes, 4.582 e 1.612, respectivamente; e a economia é baseada principalmente na agropecuária familiar. São considerados excelentes locais para se viver, pois apresentam um elevado Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), segundo o IBGE. Rio Fortuna tem IDH de 0,806 e Guabiju de 0,758.

Brasília, no Distrito Federal, é a única representante da região Centro-Oeste e se encontra na 6ª posição, a frente de capitais como São Paulo - SP (10ª), Rio de Janeiro - RJ (12ª), Florianópolis - SC (13ª), Belo Horizonte - MG (14ª), Porto Alegre - RS (16ª) e Curitiba - PR (17ª). A capital do Brasil, que hoje está à beira de atingir os 3 milhões de habitantes, foi projetada para que não ultrapassasse os 500 mil - esse número foi superado entre as décadas de 70 e 90, mas, como pode-se notar, conseguiu evoluir sem afetar a média de seu nível de renda. Além de ser um centro político, a cidade também se apresenta como um importante eixo financeiro. Por ser extremamente plana, a construção civil é um dos fortes setores de sua economia, assim como a agricultura.  Cidades das regiões Norte e Nordeste não apareceram entre as 20 com maior renda.

Publicidade
Publicidade