Sábado, 20 de Julho de 2019
Manaus

Manaus tem quase 400 mil com nome sujo

Números dizem respeito à quantidade de consumidores locais que integravam até  junho a lista de devedores do SPC



1.gif Média da dívida está entre R$ 700 e R$ 2 mil
02/07/2013 às 14:58

Manaus tem hoje exatamente 373.940 inscritos na lista negra do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Esses consumidores estão impedidos de comprar a prazo, a menos que quitem o débito ou o renegocie diretamente com os lojistas. “O índice de inadimplência no primeiro semestre do ano passado era de 3,6%. Neste semestre foi 3,3%, que é considerado razoável. Estamos em um bom momento porque diversos setores tiveram melhoria salarial e mais oportunidades de trabalho, com isso as pessoas compram e pagam em dia”, disse o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL-Manaus), Ralph Assayag.

Ele conta que em todos os meses deste ano a inadimplência tem apresentado números inferiores aos de 2012. “Acredito que a tendência é que no restante de 2013 a inadimplência mantenha-se em equilíbrio”, comentou Assayag, que afirma que apesar do índice inadimplência ideal ser 2,8%, Manaus ainda está abaixo da média nacional, que é 6,8%.

Valor

A dívida de quem está com o nome negativado no comércio local varia de R$ 700 a R$ 2 mil. “Falta planejamento do consumidor, até porque não há uma cultura de educação financeira na população. Por isso, o endividamento tem começado cada vez mais cedo, tanto é que 25% dos inadimplentes são da faixa etária de 18 a 25 anos”, explicou Assayag, acrescentando que a ansiedade em comprar e a facilidade de crédito estão por trás do aumento da inadimplência em Manaus.

Registros do SPC a respeito da inadimplência no comércio local mostra que as mulheres devem mais do que os homens, 55% contra 45%. Apesar disso, segundo Assayag, na hora de quitar a dívida e limpar o nome na praça as mulheres costumam ser mais ágeis do que os homens. “As mulheres consomem mais por impulso, mas costumam pagar em um prazo médio de 60 dias, já os homens compram por necessidade, mas demoram 120 dias para pagar”, observou.

Em 41% dos casos de inclusão de um CPF no Serviço de Proteção ao Crédito, o motivo é o descontrole financeiro, ante 31% referentes ao desemprego. A última pesquisa realizada pelo SPC Brasil revelou que 64% da população brasileira já esteve, ou está, negativada perante o mercado e integrando os bancos de dados dos serviços de proteção ao crédito.

Uma das boas pagadores é a professora, Marluce Carvalho, de 29 anos, que na última semana resolveu quitar uma pendência financeira que já se “arrastava” há quase um ano. “Não tenho disciplina para colocar tudo na ponta do lápis, mas vou passar a me policiar para não acabar perdendo o controle novamente”, comentou Marluce Carvalho.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.