Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020
MOBILIDADE URBANA

Manaus teve o pior resultado entre as 19 capitais do País em pesquisa do Mobilize

A pesquisa foi idealizada pelo Mobilidade Urbana Sustentável (Mobilize) e divulgado no dia 9 deste mês. Manaus tem pouco mais de 2 quilômetros de ciclovia, e apenas no Boulevard Álvaro Maia



CICLOVIA.JPG Em desuso por conta de falhas de planejamento, ciclovia do Boulevard não é frequentada por ciclistas, mas pedestres. Foto: Winnetou Almeida
19/02/2017 às 16:20

Uma pesquisa de mobilidade comparou o avanço das vias exclusivas para ciclistas em 19 capitais brasileiras e, para quem é adepto dos pedais, não é nenhuma suspresa que Manaus tenha ficado no último lugar quando o assunto é a extensão de ciclovias e ciclofaixas.

A pesquisa foi idealizada pelo Mobilidade Urbana Sustentável (Mobilize) e divulgado no dia 9 deste mês. Manaus tem pouco mais de 2 quilômetros de ciclovia, e apenas no Boulevard Álvaro Maia. A ideia inicial da prefeitura era a implantação de uma ciclovia que iria  ligar o Boulevard até a praia da Ponta Negra, na Zona Oeste. A obra estava orçada em R$ 18 milhões para a construção de 14,6 quilômetros de ciclovia.



Logo que o primeiro trecho - e único até agora - foi inaugurado, a ciclovia  provocou polêmicas na cidade por ser sido implantada sobre o calçadão central onde pedestres caminhavam e praticavam esportes, como corrida. Na prática, ela consistiu na pintura da calçada. Mesmo com tantas críticas, a ciclovia permanece no Boulevard, porém em estado de abandono e subutilizada.

Em alguns trechos até a tinta que indicava a presença da ciclovia se apagou. Há ondulações do início ao fim e buracos, que dificultam a vida dos ciclistas, sem falar nos postes e no próprio trânsito de pedestres, que, sem espaço próprio para transitar ao atravessar a avenida, precisam disputar espaço com os ciclistas. Tudo isso leva os adeptos das ‘bikes’ a preferir disputar espaço com os carros, na rua.

Quem trabalha nas proximidades, como a atendente Luciane Almeida, 29, afirma que é muito difícil encontrar um ciclista ao utilizar a ciclovia. “Quase não vejo ciclista utilizando a parte que chamam de ciclovia, mas sei que há muita dificuldades de andar neste trecho. Teve uma vez que estava chovendo, cheguei a ver um ciclista cair, pois quando havia a tinta acho que o local ficava bem escorregadio. Mas agora a ciclovia está praticamente abandonada. Às vezes grupos de ciclistas passando até utilizam o local, mas a maioria ainda prefere dividir espaço com os carros, na rua mesmo”, contou.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.