Publicidade
Manaus
Manaus

Manaustrans fiscaliza 26 pontos durante blitz na Zona Centro-Sul

A escolha da zona se deve ao número de reclamações de moradores da área e o fluxo intenso de veículos 10/10/2013 às 15:42
Show 1
Os carros guinchados pelo Manaustrans foram levados ao parqueamento da Prefeitura de Manaus, localizado no bairro da Paz
Bruna Souza* Manaus, AM

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans) realizou na manhã desta quinta-feira (10) uma operação com o objetivo de combater infrações de trânsito nas principais ruas e avenidas da Zona Centro-Sul de Manaus, entre elas a parada de veículos em locais proibidos. Vinte seis pontos foram fiscalizados por 42 agentes de trânsito do órgão, que contou com o apoio de três guinchos desde as 9h.

O primeiro local a ser visitado pelos servidores da operação foi a rua Nazaré de Mesquita, no bairro da União, onde um carro foi multado por estar estacionado na calçada e uma caçamba parada na contra mão. Ao todo, 201 veículos foram autuados e nove foram recolhidos e levados ao parqueamento da Prefeitura de Manaus, localizado no bairro da Paz, Zona Centro-Oeste de Manaus. 

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, as irregularidades são infrações graves e a multa é de R$ 127. Além disso, o condutor pode perder de cinco a sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Numa ação paralela, a Companhia de Trânsito da Polícia Militar do Amazonas (Ciatran) fiscalizou motocicletas que circulam pela Zona. 14 condutores foram autuados - a maioria por irregularidades em seus documentos - e as motocicletas também foram recolhidas para o parqueamento do  Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran/AM).

A escolha da Zona Centro-Sul segundo os agentes de trânsito se deve ao número de reclamações de moradores da área e o fluxo intenso de veículos. “Por se tratar de uma área comercial, a maioria dos estabelecimentos não oferecem o estacionamento aos clientes e é comum vermos motorista parando rapidamente de forma irregular. Isso prejudica todo o trânsito e o fluxo contínuo dos veículos”, declarou um dos agentes.

*Com  informações da repórter do Jornal A Crítica Carolina Silva 

Publicidade
Publicidade