Sábado, 29 de Fevereiro de 2020
FRIO E CALCULISTA

Mandante da morte de comerciante no Lírio do Vale foi ao velório da vítima

Além de ir ao velório, o mandante do crime ajudou carregar o caixão, colaborou com a família para fazer a lápide e a cruz da sepultura e ainda foi a missa de sétimo dia



sdfsdf.JPG (Fotos: Gilson Mello)
08/05/2017 às 11:28

Mandantes e executores do homicídio do comerciante Francisco Pinheiro de Lima ocorrido no mês passado no bairro Lírio do Vale, Zona-Oeste foram apresentados na manhã desta segunda-feira (8), na Delegacia Especializada em Roubos Furtos e Defraudações (DERFD).

O crime foi comandando por Claudiomar de Lima, Maria Izabel Oliveira, Cleberson Castro, e um adolescente de 17 anos, que foi o autor dos três disparos que tiraram a vida do comerciante. Eles foram presos por meio demandado de prisão expedida pelo juiz da 3ª Vara do Tribunal do Júri, Mauro Antony.



Familiares e amigos de Francisco Pinheiro foram à apresentação levando cartazes pedindo justiça. O assassino confesso disse em depoimento que se arrependeu do crime. Para a família, Claudiomar é frio e calculista Além de ir ao velório, o mandante do crime ajudou carregar o caixão, colaborou com a família para fazer a lápide e a cruz da sepultura e ainda foi a missa de sétimo dia.

O crime, que inicialmente foi classificado como latrocínio, na verdade foi um homicídio qualificado, conforme disse o titular da Especializada, Adriano Felix. De acordo com as investigações, o comerciante foi morto por conta de uma dívida no valor de R$ 10 mil que tinha com Claudiomar.

Ainda conforme o delegado, o crime foi simulado para parecer um latrocínio, mas as imagens das câmeras de segurança derrubaram essa hipótese.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.