Publicidade
Manaus
Manifestação

Manifestantes ocupam sede da Susam em protesto contra reordenamento na Saúde

Cerca de 20 pessoas foram ao local cobrar uma reunião com a direção do órgão. Eles seguravam faixas com críticas à reforma e prometiam só sair após uma conversa 14/06/2016 às 18:03 - Atualizado em 14/06/2016 às 18:40
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Cerca de 20 manifestantes ocuparam a sede da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), em Manaus, na tarde desta terça-feira (14), em protesto contra o reordenamento na rede pública de saúde, anunciado pelo Governo do Estado no mês passado. Os manifestantes cobravam uma reunião com o governador José Melo (Pros).

Segurando faixas com críticas à reforma, eles ocuparam a sede desde as 14h e prometiam ficar permanentemente no prédio caso não fossem ouvidos. Os manifestantes também pediam a saída do presidente interino do Brasil Michel Temer (PMDB). A Polícia Militar do Amazonas acompanhou a manifestação.

O grupo era formado por diversos membros da sociedade civil organizada, entre eles integrantes de movimentos estudantis, coletivo de mulheres e de moradias. O estudante de Gestão Pública, Ruan Octávio, criticou o reajuste na Saúde. Ele acredita que a proposta apresentada pelo governo não vai suportar a demanda da capital.

“A forma como governador está apresentando de fechar unidades, fechar maternidades, fechar SPAs, não vai suportar a demanda da capital. Não somos contra o reajuste das contas públicas, mas é preciso rever contrato dos comissionados que estão no Estado só pra cumprir cota de apoio ao governador. É assim que se faz um enxugamento do estado, e não tirando os direitos da saúde”, declarou.

A médica Cristiani Fachinello trabalha em uma unidade de saúde da capital. Segundo ela, além da população, os próprios profissionais são afetados. “Nós não podemos ser penalizados e muito menos a população. Se tem que haver reordenamento, tem que haver de cima pra baixo. A população não pode ser penalizada com falta de medicamentos, com falta de esparadrapos e até falta de luvas”, disse ela.

Segundo a assessoria de imprensa da Susam, o grupo foi recebido para uma reunião com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, “embora não tenha (sido) agendada previamente nenhuma conversa com a direção do órgão”. Após a reunião, os manifestantes deixaram o local.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, a Susam “está à disposição de todos os segmentos da sociedade interessados em entender as medidas de reordenamento que estão em fase de implementação” na Rede de Atenção em Saúde.

Por meio de nota, a Susam reiterou que tem o papel de “adotar políticas públicas na área da saúde que busquem manter a qualidade dos serviços oferecidos, otimizando a utilização dos recursos, principalmente neste momento de crise econômica em todo o país”.

Publicidade
Publicidade