Publicidade
Manaus
GREVE GERAL

Manifestantes percorrem ruas do Centro de Manaus contra reformas do governo Temer

No dia marcado para a greve geral, trabalhadores e estudantes fazem passeata contra reformas trabalhista e da Previdência 30/06/2017 às 10:43 - Atualizado em 30/06/2017 às 15:26
Show d32e7fea bf8f 43ae bfe3 cf0ca80b99a1
Foto: Gilson Mello
Rebeca Mota e Vinicius Leal

Dezenas de trabalhadores, estudantes e servidores públicos tomaram as ruas do Centro de Manaus na manhã desta sexta-feira (30) durante o ato de greve geral contra as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo do presidente Michel Temer. As manifestações ocorrem em todo o País também para protestar contra a Lei de Terceirizações e pedir o impeachment de Temer.

Acompanhados de um carro de som e empunhando cartazes e bandeiras, os manifestantes começaram a se concentrar na Praça da Saudade por volta das 7h e saíram em passeata por volta das 9h30. Eles percorreram a rua Ferreira Pena, no sentido Centro/bairro, dobraram para a avenida Leonardo Malcher, depois seguiram pela rua Epaminondas e adentraram na avenida Sete de Setembro até o cruzamento com a avenida Eduardo Ribeiro.

“Queremos que essas medidas perversas propostas por esse governo golpista não passem no Congresso, tais como reforma da Previdência, reforma trabalhista, a Terceirização, a emenda constitucional que precariza o serviço público e congela o salário por 20 anos. São direitos conquistados e que o governo que retirar”, disse Adminilton Lima, do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Amazonas.

 “Tivemos desde o início cerca de 3 mil pessoas aqui. Nós temos o pessoal dos urbanitários, professores universitários, servidores públicos, movimentos sociais, de mulheres, estudantes, os Sem Teto. Nossa pauta é contra as reformas do governo que retiram direitos conquistados historicamente pelos trabalhadores”, disse Luis Cláudio Correa, vice-presidente do Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho e membro do movimento “Fora Temer Manaus”.

“Estamos aqui reunidos com os movimentos sociais, frentes populares e sindicatos contra as reformas votadas no Congresso. Políticos investigados por corrupção se acham no direito de decidir nosso futuro sem discutir isso com a sociedade. Fazem isso a portas fechadas e a passos largos, sem tempo para pensar”, disse Erica Peres, coordenadora do sindicato nacional de servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Devido aos protestos, o tráfego de veículos ficou prejudicado pelas vias adjacentes e principalmente na avenida Constantino Nery, no trecho que dá acesso ao Centro de Manaus. Agentes de trânsito do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) acompanharam a passeata, bem como por policiais militares.

Publicidade
Publicidade