Sábado, 18 de Setembro de 2021
Manifestação

Manifestantes protestam no centro de Manaus contra o governo Bolsonaro

Protesto saiu da Praça da Saudade e terminou em frente ao Teatro Amazonas



WhatsApp_Image_2021-07-24_at_17.51.19__2__471728E0-E361-4234-86CF-B05827C1787E.jpeg Foto: Junio Matos
24/07/2021 às 18:13

A manifestação contra o governo Bolsonaro reuniu centenas de pessoas em Manaus. O ato é realizado neste sábado (24) em mais de 300 cidades brasileiras pedindo o impeachment do presidente. O protesto saiu da Praça da Saudade, percorreu avenida Epaminondas, 7 de Setembro, 10 de julho e terminou em frente ao Teatro Amazonas. Alguns manifestantes portavam bandeiras de partidos políticos e bandeiras do Brasil.

Os coordenadores da quarta manifestação dizem que o movimento anti-bolsonarista está crescendo em Manaus, devido as denúncias e fatos descobertos pela CPI da pandemia, envolvendo a alta cúpula do governo federal.

O coordenador do movimento, Yann Evanovich disse que que a insatisfação com o presidente vem crescendo também em cidade de interior do Amazonas como: Itacoatiara, Tefé, Coari e Humaitá. “Eu acho que o governo Bolsonaro Já chegou no limite. Ninguém mais tem dúvida que o governo está envolvido em escândalos de corrupção. Ninguém tem mais dúvida que o governo Bolsonaro negocia com o centrão, e faz parte do centrão. E o governo Bolsonaro quer manter o estado do Amazonas longe”, disse o coordenador.

Yann lembra os constantes ataques sofridos pelo Polo Industrial de Manaus por parte do Ministro da Economia, Paulo Guedes. “ O Paulo Guedes, toda semana,  ataca o pólo industrial de Manaus. No Amazonas faltou oxigênio  e a CPI avança nisso. Os senadores do Amazonas ja foram pra cima do governo e ele chantageou os senadores querendo tirar a Zona Franca de Manaus. Agora, eu acho que a população de Manaus começa acordar. A população do Amazonas começa a dizer ‘olha esse governo não gosta da gente", disse. 

Questionado sobre a posição do governo Bolsonaro em relação ao Amazonas, Yann disse que o estado não é eleitoralmente importante para o presidente. "Eu acredito que nós temos um estado eleitoralmente pequeno, talvez o governo dele nos veja de forma diferenciada”, disse o coordenador

Mulheres 



O grupo de representante do Movimento de Mulheres na Resistência protestou contra a política do governo federal que, segundo elas, fere os direitos das mulheres. “ Estamos protestando contra os anseios desse desgoverno e a gente como mulher veio pra realmente aderir os direitos e fazer valer tirar esse desgoverno que vem tirando direitos das mulheres. Você sabe que a questão feminina e sempre deixada de lado pelo presidente. Esse governo e machista e heterocentralizador,  não respeita as mulheres. Nós somos mulheres trabalhadoras, mãe de família e donas de casa. Muitas são professoras, assistentes sociais, profissionais de respeito.  No momento que ele começa a reduzir os direitos envolvendo o benefício de prestação continuadas, reduzindo os recursos da política de assistência social, da política de saúde, ele está ferido também o direito da mulher porque você sabe que a mulher esta à frente das famílias no Brasil. A maioria das famílias são chefiadas por mulheres e muitas vezes essas políticas são um recurso para  mulher garantir a sua sobrevivência”, disse a fundadora do MMR, Sheila Mustafa.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.