Publicidade
Manaus
MAIS CONFUSÃO

Manifestantes tentam invadir plenário da Câmara e audiência pública é suspensa

Grupo que estava na galeria da CMM quis entrar no plenário à força e foi impedido por seguranças. Com clima tenso, audiência foi encerrada 24/02/2017 às 13:02 - Atualizado em 24/02/2017 às 17:50
Show whatsapp image 2017 02 24 at 12.54.36
Manifestantes e seguranças em clima de tensão (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Camila Pereira Manaus (AM)

A audiência pública na Câmara Municipal de Manaus que serviria para discutir o transporte coletivo no Amazonas foi suspensa por cerca de meia hora, no início da tarde desta sexta-feira, por conta de uma nova confusão envolvendo manifestantes contrários ao aumento da tarifa.

Depois de pouco mais de duas horas e meia de discussões, em que representantes da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) apresentaram detalhe sobre a planilha do transporte coletivo, manifestantes que havia entrado em confronto com seguranças, policiais militares e guardas municipais, tentaram entrar no plenário para participar da audiência.

O problema começou quando os manifestantes que estavam na galeria tentaram invadir o plenário. Houve tumulto, empurra-empurra e os seguranças da Câmara impediram o acesso do grupo ao plenário.  Por conta da confusão, o presidente da Comissão de Transportes da CMM, Rosivaldo Cordovil, acabou suspendendo a audiência pública.

O tumulto ocorreu quando pelo menos três representantes do grupo de manifestantes já havia inclusive se manifestado no plenário. No entanto, os outros membros  queriam falar também, pois alegaram não haver resultado nenhum até aquele momento. Após a confusão, eles ficaram ao lado dos que tentaram invadir o plenário, prometendo fechar os acessos.

"Se a gente não entra, também ninguém sai", disse um dos líderes do grupo, identificado como Ruan Otávio. "Estamos na galeria ha uma bom tempo. Alguns representantes foram ouvidos mas nem deixaram falar direito. Nós queremos entrar e ser ouvidos", disse André Henrique Batista, da União da Juventude Socialista. "Eles (os vereadores) tem quem defenda eles, a gente não. Estão jogando spray de pimenta na nossa cara, com cassetete na gente, a gente é que paga eles", disse outra manifestante.

Audiência esvaziada

Convocada para tentar esclarecer as dúvidas a respeito da planilha de custos do transporte coletivo em Manaus, a audiência pública foi marcada pela ausência do prefeito Artur Neto e de seu vice, Marcos Rotta. Além deles, o presidente da CMM, Wilker Barreto (PHS), aliado de Artur Neto, também não marcou presença. 

Coube a funcionários da SMTU à explicação da planilha de custos, após uma breve apresentação feita pelo superintendente do órgão, coronel Audo Albuquerque. A planilha, que tenta justificar o aumento para R$ 3,80, foi divulgada na internet.  “Estamos abrindo uma caixa preta. É importante dizer que não é feita de forma aleatória,mas técnica”, afirmou o superintendente Aldo Albuquerque. 

A planilha foi apresentada pela técnica da SMTU, Eliene Souza. Foram expostos de maneira técnica a metodologia empregada para definir o preço da tarifa. Durante a explanação, observou-se certa dispersão dos vereadores. Questionado sobre a explicação, o vereador Gedeão disse que não estava entendendo a planilha. “Estamos numa audiência pública e a apresentação que está sendo feita, é pelo sindicato dos empresários, é a explicação mais técnica possível, tem uma certa obscuridade. A metodologia é pouco compreensível pela densidade. Penso que os vereadores precisam conhecer mais detalhes”, disse.

Publicidade
Publicidade