Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
1432134_46B3F399-A630-4486-B3DA-81598E1FCAEE.jpg
publicidade
publicidade

FILANTROPIA

Maratona pelos rios da Amazônia para distribuir 5 mil brinquedos no Natal

Trenó aquático: grupo que há mais de 20 anos leva alegria a crianças ribeirinhas partiu ontem de barco rumo às comunidades


16/12/2018 às 06:10

Histórias natalinas todos nós temos ao menos uma para contar, sejam elas repassadas de geração a geração ou as de experiência própria. E quem é que não conhece aquela lenda que diz sobre um rastro de poeira no céu, na véspera do Natal, ser um sinal de que Papai Noel passou naquele lugar cumprindo a incrível missão da entrega de presentes ao redor do mundo?

E foi na beira da praia numa comunidade no interior do Amazonas, que, após receberem presentes ao amanhecer, pequenos ribeirinhos procuraram alguma pista da passagem do Bom Velhinho por ali.

Só que ao invés do tradicional trenó e renas mágicas, o ilustre visitante natalício trilhou o caminho pelas águas na noite anterior junto com a caravana Amigos do Papai Noel, que este ano chega a sua 21ª edição e a marca de cinco mil brinquedos com destino certo.

A recordação já tem dez anos e é a mais marcante para a economista Denise Kassama, uma das idealizadoras da campanha.

Ela conta que a lembrança ficou mais evidente por conta dos percalços e desafios para conseguir chegar até o local a tempo de encontrá-las ainda reunidas à espera do senhorzinho da roupa vermelha e longa barba branca.

“Foi uma das rotas que a gente fez pelo interior, o barco teve problemas mecânicos e nós ficamos à deriva várias horas no rio, à espera de socorro. Isso atrasou todo nosso cronograma de entrega nas localidades. Quando a gente chegou à última comunidade, já era tarde da noite e as crianças tinham ido embora tristes porque a gente não tinha ido, mas com a ajuda dos comunitários, conseguimos deixar os brinquedos na porta da casa de cada uma. No dia seguinte, quando as crianças pegaram os presentes, saíram correndo para a praia para tentar enxergar o rastro do trenó do Papai Noel”, lembra Denise.

Natal solidário

A campanha Amigos do Papai Noel teve início em 1998, quando Denise e mais três amigos decidiram colocar em prática o verdadeiro sentido da data, que vai além do que é propagado comercialmente. Ao invés de fazer grandes festas e amanhecer o dia bebendo, diz ela, o quarteto resolveu juntar as economias e decidiu por distribuir brinquedos, já que à época não havia ação semelhante.

“Doar alimentos e roupas era complicado, então decidimos por brinquedos, já que também naquela época ninguém distribuía. Então, naquele ano a gente juntou aproximadamente 500 brinquedos e saímos distribuindo aleatoriamente em Manaus. A experiência foi boa e decidimos continuar com a ação ano a ano e, desde então, conseguimos aumentar a quantidade de brinquedos assim como a quantidade de amigos, quando vimos, já se passaram 20 anos”, conta Denise.

Atualmente na fase operacional são mobilizados um total de 80 voluntários, todos com vínculo de amizade entre si.

“Este ano está sendo muito especial porque estamos completando 20 anos de campanha, então todos os voluntários têm um carinho todo especial pela ocasião. Por conta da crise, está mais difícil, assim como no ano passado. Chegamos a quase cinco mil brinquedos, mas até o Natal a gente consegue fechar nesse número. É só entrar em contato com a gente através das redes sociais (Amigos do Papai Noel)”, enfatiza.

Família Noel e a emoção sem idade

publicidade

Há 15 anos acompanhando o Papai Noel da caravana, a voluntária Marina Okamoto pode ser chamada também de Mamãe Noel.  Ela é casada com Claudionor José de Deus, o homem por trás do típico e tradicional traje natalino.

“Eu o admiro muito porque ele abraça realmente a ideia de ser o Papai Noel. Então ele enfrenta o calor com aquela roupa, por vezes fica o dia inteiro sem ir ao banheiro só para não ter que tirar a roupa e desfazer a magia de uma criança. Se tiver um pequeno no barco, então aí que ele realmente não tira as vestes”, afirma Marina Okamoto.

Mas, para Claudionor José de Deus, o calor é o de menos. Tendo como lema “Não podemos mudar o mundo, mas podemos fazer uma criança sorrir”, mesmo com seis pinos na coluna e dores crônicas, o Bom Velhinho segue firme no compromisso de levar alegria tanto para os pequenos, como para os mais velhos.

“Não é só as crianças que ficam encantadas com ele: os ribeirinhos adultos mesmo ficam encantados. Ficam emocionados, muitos abraçam e não querem soltar. Uma vez a gente foi numa comunidade e uma senhora queria uma boneca. Essa senhora chorou tanto, depois ela contou que nunca havia tido uma. Todo mundo com lágrimas nos olhos, emocionados com a situação”, relatou ele.

Arrecadação no ano inteiro

Todos os anos o grupo estuda comunidades em conjunto com o auxílio da Pastoral da Criança. Desta forma, as organizações listam as localidades por onde o barco do Papai Noel ainda não passou.

Os voluntários da campanha realizam dois eventos de arrecadação de verbas ao longo do ano, com o apoio de empresários locais e mesmo dos próprios amigos.

Ao longo do ano, são realizadas duas feijoadas, onde a renda é revertida para a compra dos materiais de embalo e brinquedos.

Por conta da crise, a quantidade de brinquedos diminuiu, entretanto, com a doação de 62 ventiladores em estado de novo; o grupo conseguiu vendê-los e arrecadou perto de cinco mil itens e as doações continuam até chegar o Natal.

O objetivo é arredondar o número e alcançar o maior número possível de crianças.

Cronograma

A primeira remessa de presentes começou a ser distribuída ontem, na Ilha da Marchantaria, em Iranduba, e segue até o dia 22, percorrendo comunidades ribeirinhas do interior do Amazonas. Já nos dias 24 e 25 será a vez das crianças das Zonas Norte e Leste da capital amazonense receberem o Bom Velhinho natalino.

publicidade
publicidade
Inspirado no tucumã, estudante cria super-herói amazônico em Manaus
Bolsonaro diz que quer explorar Amazônia em parceria com os Estados Unidos
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.